Segunda, 20 de Novembro de 2017

Depredação também é marca registrada

29 JAN 2010Por 07h:37
No Bairro Novo Minas Gerais, saída para Cuiabá, além do matagal que é visto por toda a área, vestiários, parquinho e quiosques estão depredados e pichados. O que era para ser uma espaço de lazer para a população transformou-se em problema. A praça está localizada na Avenida Marquês de Leão, entre as ruas Tabaúna, Cataguases e Argolas e, no local, funciona o Centro de Educação Infantil Paulino Romeiro Paré. O sorveteiro Ari Souza Flores, de 56 anos, mora no Bairro Danúbio Azul, mas vende seus produtos nos Novos Estados e passa sempre pela praça. “O medo maior é de bandido escondido no meio do mato. Além disso, tem muita sujeira na praça”, lamentou. O acadêmico de Medicina Veterinária Henrique Vilarins, de 22 anos, aproveita o período de férias para passear com o filho Gabriel, de 3 anos. Segundo afirmou, nesta semana, até os policiais resolveram reclamar com a Prefeitura de Campo Grande pelas condições da praça e tiraram fotos da situação precária. “Não dá nem para deixar as crianças brincarem no parquinho. Está tudo quebrado, enferrujado”. Em out ras épocas, a área servia como ponto de encontro para as famílias. “Nós costumávamos nos sentar na praça e conversar com os vizinhos”, lembrou a diarista Ocalina dos Santos Domingues, de 67 anos, que estava acompanhada da filha Diva Alves Domingues, de 46 anos. Segundo os moradores, as condições da praça não eram as melhores e pioraram nos ú lt imos meses. “Eu não venho mais”, disse César Reis, que costumava levar o sobrinho para brincar no local. (ST)

Leia Também