Segunda, 20 de Novembro de 2017

Denúncia contra Venezuela formalizada na OEA

23 JUL 2010Por 10h:53
O governo de Álvaro Uribe acusou a Venezuela de esconder líderes das guerrilhas colombianas Farc e ELN. A decisão de colocar as fronteiras em “alerta máximo” deve-se ao risco de que o Uribe, “movido por seu ódio contra a Venezuela”, opte por uma ação militar contra Caracas, enfatizou o líder venezuelano. As declarações de Chávez foram feitas em rede nacional de televisão, ao lado do técnico da seleção de futebol argentina Diego Maradona, que está em visita à capital da Venezuela. Maradona disse que “isso não é culpa dos colombianos”, segundo o jornal colombiano “El Tiempo”.
ontem, em sessão extraordinária da OEA (Organização dos Estados Americanos), a Colômbia exibiu fotos, vídeos e testemunhos que provariam a presença de ao menos 87 acampamentos e 1.500 guerrilheiros protegidos em solo venezuelano.
O embaixador da Colômbia no órgão, Luis Alfonso Hoyos, afirmou que os acampamentos não são novos “e continuam se consolidando”.
“Não são [apenas] casas. São ao menos 87 estruturas completamente armadas em território venezuelano”.
Em seu discurso, que também contou com fotos e imagens aéreas, Hoyos se concentrou nas informações sobre quatro localidades, que abrigariam os acampamentos nomeados Ernesto, Berta, Bolivariano e Jesus Santrich, situados 23 quilômetros para dentro do território venezuelano.

Leia Também