Domingo, 19 de Novembro de 2017

Dengue teria causado outra mort

24 FEV 2010Por 06h:56
Paciente da Santa Casa de Campo Grande morreu apresentando sintomas da dengue. Este seria o terceiro óbito causado pela doença, de acordo com último boletim divulgado pela Secretaria de Estado de Saúde no dia 6 de fevereiro. Já a Secretaria Municipal de Saúde confirma – até agora – uma morte. De acordo com a assessoria de imprensa da Santa Casa, o homem faleceu no último dia 20 de fevereiro, às 14h e 40min. Ele estaria internado porque sofria de problemas no fígado, mas também apresentava sintomas de dengue. A morte está sendo investigada por meio de exames laboratoriais e os laudos serão concluídos até o final desta semana. No Hospital Regional de Mato Grosso do Sul, ontem à tarde, havia oito pessoas internadas com sintomas de dengue, sendo dois em estado grave. O diretor do Hospital, Ronaldo Perches Queiroz, não confirmou nenhuma morte em decorrência da doença naquele local. Ele explicou que o Hospital Regional é referenciado para atender os casos mais graves da doença e, por isso, recebe pacientes da Capital e do Interior. Dengue hemorrágica Em um dia, os casos notificados de dengue hemorrágica dobraram em Campo Grande, con forme dados do relatório expedido diariamente pela Secretaria de Saúde do município. No boletim de segundafeira, eram quatro os casos suspeitos do tipo mais grave da doença. No relatório divulgado ontem à tarde, apareciam oito. Os registros da dengue não param de crescer na Capital. De segunda-feira até ontem foram contabilizados mais 666 novas suspeitas. Se os números continuarem assim, a média de notificações também deve aumentar. Segundo a Secretaria de Saúde, a média de casos suspeitos registrados é de 403 por dia. Assistência A secretária de Estado de Saúde, Beatriz Figueiredo Dobashi, informou ontem à tarde que ainda não tinha os números atualizados de mortes em consequência da dengue. Porém, ela afirmou que nenhuma delas foi causada por falta de assistências dos hospitais que estão sob responsabilidade da administração estadual. “As providências são tomadas antes de a epidemia acontecer”, esclareceu a secretária.

Leia Também