Sexta, 24 de Novembro de 2017

Dengue matou 16 pessoas no Estado neste ano

20 MAR 2010Por 03h:29
A epidemia de dengue em Mato Grosso do Sul já contabilizou 16 mortes por complicações decorrentes da doença confirmadas por exames laboratoriais, neste ano. Se os óbitos em investigação também forem confirmados, o número pode subir para 25, segundo informações do boletim epidemiológico de número 7, divulgado ontem pela Secretaria de Estado de Saúde. Campo Grande é o município que concentra o maior número de mortes confirmadas (7), em seguida aparece Dourados (4 óbitos), Jardim (3), Rio Brilhante e Corumbá (1 morte cada). Os casos que podem ter provocado morte, mas permanecem em investigação, estão concentrados em Campo Grande, Dourados e Jardim, sendo que em cada município há três suspeitas. As vítimas de Campo Grande, segundo informou a Secretaria Municipal de Saúde, também sofriam de obesidade mórbida, alcoolismo, doenças do pulmão e hipertensão. O número total de notificações da doença, ou seja, pessoas que procuraram as unidades de saúde por apresentar sintomas da doença, chegou a 38.989, desde o início do ano até o último dia 13. Esses números não representam a realidade do quadro epidemiológico, que pode ser pior, visto que 14 municípios não atualizaram a planilha dos dados sobre a dengue, que deve ser encaminhada semanalmente à Secretaria de Estado de Saúde. No ranking estadual de notificações da doença, a Capital aparece em primeiro lugar, com 22,3 mil casos; seguida por Dourados (2071), Jardim (1364), Rio Brilhante (865) e Maracaju (836). Em 38 municípios do Estado, a incidência é considerada alta. Apenas Caracol, Japorã e Taquarussu não apresentaram nenhuma notificação. Os resultados de monitoramento da circulação viral apontou para circulação de dois tipos de vírus, DEN 1 e DEN 2, em vários municípios, sendo que, na Capital, a proporção é de 47,8% do vírus tipo 1 e 13% do tipo 2.

Leia Também