Sábado, 18 de Novembro de 2017

Dengue derruba dois deputados estaduais

24 FEV 2010Por 06h:42
Dois deputados estaduais foram derrubados pela dengue em Mato Grosso do Sul. O primeiro a contrair a doença foi Londres Machado (PR), que depois de sete dias de internação hospitalar recebeu alta ontem, mas permanecerá em repouso em casa. No fim de semana, foi a vez do deputado Zé Teixeira (DEM) ser atingido pela doença transmitida pelo mosquito Aedes aeg ypti. Londres ficou internado no Hospital do Proncor, em Campo Grande. Embora melhor, o parlamentar está abatido. Os sintomas da dengue clássica duram até uma semana. Depois desse período, a pessoa pode continuar sentindo cansaço e indisposição. Londres contou ao Correio do Estado ter sentido muitas dores por todo o corpo, febre e disse que os médicos confirmaram redução de plaquetas no sangue, que a dengue clássica provoca. Contou que espera recuperar-se até o próximo fim de semana, para poder voltar às sessões da Assembleia Legislativa na semana que vem. O deputado Zé Teixeira começou a sentir os sintomas no último sábado, quando esteve em Sete Quedas participando de ato político. Ele contou que na própria cidade um médico diagnosticou a dengue. No domingo, de volta a Dourados, onde reside, passou por exames que confirmaram a doença. Teixeira está de repouso em casa e também não deve comparecer às sessões da Assembleia, em Campo Grande, nesta semana. Dois prefeitos Além dos deputados, pelo menos dois prefeitos estão na lista dos casos confirmados de dengue registrados em Mato Grosso do Sul desde que começou o período deste verão chuvoso propício à proliferação da doença. O prefeito Neder Vedovato (PSB), de Miranda, ficou de cama em dezembro. Em janeiro foi a vez de Jun Iti Hada (PMDB), de Bodoquena. Quando esteve, no dia 25 daquele mês, na sede da Associação dos Municípios (Assomasul), para o ato de assinatura de convênios de representantes do Ministério da Integração Nacional com prefeituras do Estado, Jun Hada explicava aos colegas que seu abatimento era em decorrência de ainda sofrer sintomas da doença. A dengue clássica caracteriza- se pela diminuição da circulação de plaquetas e aumento da concentração do sangue avaliadas no hemograma. Os sintomas são febre de início súbito, dor de cabeça, dores musculares, articulares, ósseas, erupções na pele (parecidas com rubéola), coceira principalmente em palmas e plantas, prostração, náuseas, vômitos, dor abdominal, diarreia, tonturas ao sentar ou levantar, que podem caracterizar queda de pressão arterial ao se levantar, hemorragias induzidas ou espontâneas. A febre pode desaparecer no terceiro dia, mas as manifestações podem progredir. A presença de febre menor que sete dias associada a dois ou três desses sinais ou sintomas indica dengue clássica, que deve ser notificada aos órgãos de saúde.

Leia Também