Quarta, 22 de Novembro de 2017

Delcídio se une a Dagoberto contra Moka

28 JUN 2010Por 06h:22
adilson trindade e Fernanda brigatti

O senador Delcídio do Amaral (PT) deixou as arestas de lado e incorporou a candidatura do deputado federal Dagoberto Nogueira (PDT) como parceiro na disputa para o Senado. “Para aguentar uma chapa desta, não é mole, não”, declarou, em seu discurso, na convenção do PDT. Ele disse que os adversários vão ter de trabalhar muito para derrotá-lo e destacou, ainda, a força eleitoral do ex-governador José Orcírio dos Santos. “Esta chapa, sob ponto de vista ideológico e político, é uma chapa ousada”, acrescentou. Delcídio conclamou o apoio de todos os aliados para reelegê-lo e assegurar a eleição de Dagoberto para derrotar o deputado federal Waldemir Moka (PMDB).

Em seu discurso, Delcídio reconheceu que não será uma disputa fácil, porque os adversários vão entrar na campanha eleitoral jogando pesado para não entregar o poder. Mas avisou: “não vale canelada, não vale baixaria, temos de discutir projetos”.

O senador convocou toda a militância de ativista, como defendeu o presidente municipal de Campo Grande do PDT, vereador Paulo Pedra, para conquistar votos para a chapa da oposição ao governador André Puccinelli e para a ex-ministra Dilma Rousseff (PT) na disputa para a Presidência da República.
“Seremos três ‘Ds’: Dilma, Delcídio e Dagoberto. Isto nas ruas será um estrago” para os adversários, na avaliação do senador petista. Ele aconselhou ainda o candidato do PDT a se manter tranquilo nos ataques que vem sofrendo dos rivais. Segundo Dagoberto, os prefeitos estão sendo coagidos pelos adversários a declarar apoio ao governador André Puccinelli, sob risco de represália. “Os prefeitos todos têm medo do governador”, afirmou.

O outro “D” da disputa pelo Senado também entrou na campanha à reeleição do companheiro de chapa. “O PDT não pode abrir mão de votar no Delcídio. Eu não admito nenhum pedetista votando em candidato de outro partido”, disse Dagoberto.
Seguindo o clima de confraternização entre as siglas, a primeira-suplente na chapa de Dagoberto, a professora Gilda Maria dos Santos, disse que a responsabilidade por sua candidatura, nas eleições deste ano, cabe ao PDT. “Falo pela 1ª vez como candidata a um cargo político e graças ao PDT”, afirmou.

Leia Também