Quinta, 23 de Novembro de 2017

Delcídio e Dagoberto seriam eleitos hoje para o Senado

18 AGO 2010Por 06h:00
adilson trindade

Se as eleições fossem hoje, os dois principais candidatos da oposição seriam vitoriosos na disputa para o Senado. O senador Delcídio do Amaral (PT) seria reeleito com 57% das intenções de voto e o deputado federal Dagoberto Nogueira (PDT) levaria a segunda vaga com 38%. É o que indica a nova pesquisa do Ibrape/Correio do Estado realizada no período de 14 a 16 deste mês. Os candidatos governistas, deputado federal Waldemir Moka (PMDB) e o vice-governador Murilo Zauith (DEM), ficaram tecnicamente empatados em terceiro lugar. A candidatura de Moka sairia das urnas com 26% das intenções de voto e Murilo com 24%. A margem de erro é de 3 pontos percentuais para mais ou para menos com intervalo de confiança de 96%.
O levantamento mostrou ainda 36% de eleitores indecisos. Eles declararam não saber em quem votar para as duas vagas de senador, enquanto 17% afirmaram a intenção de anular ou votar em branco.
Pela pesquisa publicada na edição de ontem e hoje, o governador André Puccinelli (PMDB) seria reeleito, mas amargaria a derrota dos candidatos a senador de sua coligação.
O líder da preferência do eleitorado para o Senado, o petista Delcídio do Amaral, asseguraria a sua vaga sem ser ameaçado pelos rivais. Nesta nova pesquisa, ele recuperou 8 pontos em relação à de julho, enquanto Dagoberto oscilou 3 para baixo, Moka subiu 3 e Murilo ficou estabilizado nos 24% das intenções de voto. O candidato do PSOL, Jorge Batista, permaneceu com 2% contabilizados no levantamento de julho.
Se a primeira vaga estaria hoje assegurada a Delcídio, a disputa pela segunda vaga ficaria entre Dagoberto, Moka e Murilo. O candidato do PDT, no entanto, sairia hoje vitorioso com 12 pontos de vantagem sobre o rival peemedebista e 14 à frente do democrata.
Na disputa por votos no Estado, Dagoberto só perderia hoje para Moka na Região do Bolsão por 33% a 30% das intenções de voto. Mesmo assim, pela diferença, pode ser considerado empate técnico por estar dentro da margem de erro de 3 pontos percentuais. E perderia também na Região da Grande Dourados — segundo maior colégio com 355.111 eleitores do Estado — para Murilo por 55% a 33%. Moka ficaria com 24%.
A disputa mais acirrada foi verificada nos municípios do Sudoeste onde Dagoberto e Moka estão empatados com 40% das intenções de voto respectivamente. Os dois estão também literalmente empatados na Região do Cone Sul com 35% cada um.
A grande vantagem de Dagoberto sobre Moka é em Campo Grande — maior colégio que reúne 595.293 eleitores do Estado. A diferença apurada pelo Ibrape é de 28 pontos percentuais para o candidato pedetista. Dagoberto teria hoje 46% das intenções de voto contra 18% de Moka. Murilo viria logo atrás com 13%.
Os dois estão tendo, também, uma disputa equilibrada na Região do Pantanal (Corumbá). A vantagem de Dagoberto é de 5 pontos percentuais — 30% a 25% de Moka. O vice-governador Murilo Zauith levaria hoje 14% do apoio dos pantaneiros.
Na Região Norte, Dagoberto venceria hoje Moka por 38% a 30%. Murilo ficaria em terceiro lugar com 20% das intenções de voto.
Outra vantagem de Dagoberto sobre Moka foi verificada na Região do Vale do Ivinhema: 33% a 26%. Murilo teria 21%.

Desempenho de Delcídio
O senador Delcídio do Amaral vence, pela pesquisa do Ibrape, em todas regiões de Mato Grosso do Sul com mais de 50% das intenções de voto. Delcídio teria hoje 84% de apoio dos eleitores da Região do Pantanal (Corumbá), que é o seu maior reduto eleitoral. O senador levaria ainda 58% dos votos dos campo-grandenses, 56% da Grande Dourados, 56% do Vale do Ivinhema, 55% do Bolsão, 53% do Sudoeste, 52% do Norte e 52% do Cone Sul.

Metodologia
A pesquisa do Ibrape foi contratada pelo Correio do Estado para medir o desempenho dos candidatos a senador. Foram entrevistados 1.119 eleitores acima de 16 anos em todas as regiões de Mato Grosso do Sul. A pesquisa foi registrada no TRE sob o número 29736/2010.

Leia Também