Sábado, 18 de Novembro de 2017

Delcídio acredita em virada de jogo na sucessão estadual

24 ABR 2010Por 06h:21
LIDIANE KOBER

O senador Delcídio do Amaral (PT) acredita na possível virada do jogo na disputa pelo Governo do Estado ao analisar a pesquisa do Ibrape feita para o Correio do Estado, que aponta vantagem de 18 pontos percentuais a favor do governador André Puccinelli (PMDB) contra o ex-governador José Orcírio dos Santos (PT). “É possível ver claramente a evolução da nossa candidatura. Basta fortalecer a pré-campanha, principalmente, em Campo Grande, para virar o jogo”, disse.
No levantamento, Puccinelli surge com 54% das intenções de votos e Orcírio, com 36%. Em agosto de 2009, o petista figurava com 30% e em outubro, com 34%. Enquanto, o atual governador estacionou na margem de 54%. No interior do Estado, a diferença entre os rivais cai para 15% e, na Capital, aumenta para 24%.
“Por enquanto, o Zeca (Orcírio) está olhando muito  para o interior, mas vamos fortalecer nossa atuação em Campo Grande”, garantiu Delcídio. “Todos nós vamos trabalhar na Capital e eu me incluo nisso”, completou. Neste final de semana, o PT realiza encontro da juventude em Campo Grande, com a presença do ex-ministro José Dirceu (PT). Já ontem à noite, o partido reuniu as lideranças em Aquidauana.

Propaganda antecipada
Além do senador, avaliaram de forma positiva a pesquisa o pré-candidato petista e o deputado federal Vander Loubet (PT). “Mesmo com volume de propaganda do André, o Zeca começou a disputa praticamente no mesmo patamar que o Delcídio terminou a eleição, em 2006”, comentou Vander. “Estou há três anos e meio afastado do Governo, portanto, da mídia. Ao contrário do meu adversário, que tem massificado sua propaganda. E as pesquisas, todas, indicam que meu eleitorado está crescendo a cada dia”, reforçou Orcírio.
Vander ainda acredita na tendência de mais crescimento ao vincular a candidatura do ex-governador às ações do presidente Luiz Inácio Lula da Silva. “A pesquisa indica que 45% do eleitorado quer votar no candidato do Lula”, explicou.
Os petistas também afirmaram que, nas ruas, a tendência dos eleitores é outra. “O pesquisador procura o eleitor em sua casa e seu perfil, geralmente, é de quem acompanha as informações pela televisão ou jornal. Neste caso, ele só vê o André. Ao contrário do eleitor circulante que, em sua maioria, é favor do Zeca”, disse Vander.
José Orcírio engrossou a teoria. Para ele, neste momento, as pesquisas podem não representar um panorama fidedigno da tendência do eleitorado, “porque falta muito tempo para as eleições e nem sequer os nomes dos concorrentes foram apresentados”. “A tendência de queda nas intenções de voto do atual governador se revela na voz das ruas”, opinou. “Há um alto e claro sentimento popular por mudança. No dia 3 de outubro, vamos ver isso nas urnas”, apostou.

Leia Também