Sexta, 17 de Novembro de 2017

Decisão que encerrou CPI não tem respaldo da lei, diz juiz

23 JAN 2010Por 08h:02
O juiz Vinícius Santos Silva, da 7ª Vara da Fazenda Público do Distrito Federal, reagiu ontem à manobra da base aliada ao governador José Roberto Arruda, que se aproveitou de uma decisão judicial sua para enterrar a CPI da Corrupção. A decisão judicial determinou o afastamento da investigação de oito deputados distritais citados no inquérito que apura denúncias da operação Caixa de Pandora. “A decisão está dirigida ao reconhecimento de nulidade dos atos praticados especificamente nas comissões do processo de impedimento do governador. Não encontro possibilidade racional, séria, de se interpretar extensivamente o que decidido para alcançar situações outras, não descritas nos autos”, afirmou o juiz. “Não pode uma das partes, utilizando-se de manobras indevidas, criar a seu bel-prazer uma segunda decisão que atenda a seus interesses. Se não está satisfeita com a resposta jurisdicional, que busque a Instância Superior. O que as partes não podem fazer é atentar contra a dignidade da Justiça”, concluiu.

Leia Também