Domingo, 19 de Novembro de 2017

Decisão do PTB deve ser contestada na Justiça

15 ABR 2010Por 03h:29
Lidiane Kober

Insatisfeitos com a decisão de o PTB apoiar a reeleição do governador André Puccinelli (PMDB), petebistas rebeldes querem virar o jogo na Justiça ou na convenção do partido, em junho. O primeiro passo será ingressar hoje com ação na Justiça para tentar derrubar decisão da executiva da sigla, que aprovou a aliança com o PMDB na sucessão estadual. Outra ideia é colher assinaturas a fim de levar proposta de apoio ao ex-governador José Orcírio dos Santos (PT) para ser apreciada na convenção.

Conforme o pecuarista Zelito Ribeiro (PTB), ainda nesta quinta-feira, lideranças do partido devem ingressar na Justiça para tentar anular a indicação de aliança com o PMDB. “A decisão não é válida levando em conta que integrantes da executiva nem sequer foram convidados para participar da reunião, que decretou o apoio ao André”, explicou. Segundo ele, cinco representantes da executiva foram ignorados.

No caso de a estratégia não dar resultado, os rebeldes já estão colhendo assinaturas para apreciar a proposta de aliança com o PT na convenção do partido, prevista para junho. De acordo com informações do advogado Antônio Trindade (PTB), para validar a votação é necessária a adesão de no mínimo 30% dos 41 integrantes do diretório regional, ou seja, 13 assinaturas. “Com certeza, pelo menos 20 pessoas vão aderir à ideia”, calculou.

Por meio da lista de assinaturas, os rebeldes vão garantir a apreciação da aliança com o PT na convenção. “Já estamos trabalhando para contar com o apoio das bases do partido”, destacou Trindade. “Mais de 70% dos diretórios municipais preferem a parceria com o PT”, adiantou Zelito. “Além disso, as principais lideranças do partido querem apoiar o Zeca (Orcírio)”, acrescentou. “E vamos trabalhar para buscar o apoio de toda a base política do PTB”, completou.

Contra André
Segundo Zelito, lideranças ingressaram no partido justamente por conta do compromisso de que a vontade da maioria dos correligionários seria respeitada na discussão sobre alianças. “O Roberto Jefferson (presidente nacional do PTB) nos prometeu que o diretório iria decidir o rumo do partido”, frisou. “E a proposta inicial era combater a atual administração (de André Puccinelli)”, complementou.

Além disso, os rebeldes destacam que a proposta de José Orcírio é melhor para garantir o crescimento do PTB no Estado. “O Zeca nos ofereceu a vaga de vice-governador, a primeira-suplência do senador Delcídio dos Amaral (PT), duas secretarias e estrutura para eleger dois deputados estaduais e um federal, enquanto o André só garantiu estrutura para eleger um deputado estadual”, relatou Antônio Trindade.

Leia Também