Quarta, 22 de Novembro de 2017

De vento em popa

16 AGO 2010Por 22h:12
OSCAR ROCHA

A Orquestra Jovem da Fundação Barbosa Rodrigues, formada há cinco anos, passa por fase de novidades. Após vários de seus integrantes participarem, em julho, do Festival de Música de Ourinhos (São Paulo) – um dos mais importantes do País, onde, além de assistirem a concertos de músicos importantes do cenário nacional e internacional, também puderam aprimorar o conhecimento por meio de oficinas e workshops (ver matéria na página) – a orquestra prepara-se para a gravação do primeiro DVD, mostrando o atual momento da formação, quando novos elementos musicais estão sendo inseridos.
“Em cinco anos, a Fundação Barbosa Rodrigues provou que vale a pena investir em música. O resultado tem sido excelente. Os convites para apresentações são constantes”, afirma a presidente da fundação, Maria Verônica Safadi Nogueira.
A formação conta no momento com a colaboração do músico e pesquisador Jonas Feliz, que se destaca pela fabricação e execução de instrumentos inusitados . “Ele utiliza cano de PVC, tambor de geladeira, entre outros, para criar novos instrumentos. Para a orquestra é um desafio encontrar a sonoridade adequada para os arranjos com elementos incomuns”, aponta o regente Eduardo Martinelli.
Um exemplo de peça que recebeu tratamento com as criações de Jonas é “Trenzinho caipira”, de Heitor Villa-Lobos. “Como é uma melodia muito conhecida, estamos recriando, utilizando também a viola caipira”, aponta Eduardo. Outra música que tem tratamento diferenciado é “Fantasia nordestina”, do próprio regente. Nesta composição são utilizadas flautas produzidas de modo artesanal, obtendo sonoridade única.
A possibilidade de trabalhar com instrumentos sonoros ilimitados, quando comparados aos instrumentos tradicionais, levam os integrantes da orquestra a entrar em contato com outras perspectivas sonoras. “O músico, para se aperfeiçoar, precisa ter conhecimento técnico e teórico, precisa se preparar para os desafios que terá que enfrentar”, aponta Eduardo.   
A gravação do primeiro DVD acontecerá em novembro, no Teatro Prosa (Sesc Horto), mostrando o repertório que tem caracterizado as apresentações, quando peças eruditas tradicionais se juntam a temas conhecidos da música regional. Também serão ouvidas as parcerias da orquestra com Jonas Feliz. “O DVD será uma forma de divulgar mais o trabalho que estamos fazendo com a orquestra, mostrando o talento de toda a equipe envolvida na proposta”.

Jovens
A formação conta com duas turmas, cada uma com média de 16 integrantes. A primeira constituída de adolescentes na faixa dos 14 a 16 anos, a maioria com mais de dois anos de projeto. “O outro grupo é formado por aqueles que estão entrando. Anualmente, abrimos vagas para os iniciantes, com 10, 12 anos”, destaca Martinelli. O participante recebe uniforme, alimentação, orientações musicais e de cidadania. “O integrante também pode levar o instrumento para treinar em casa”, destaca Maria Verônica.
Nos últimos meses, a orquestra tem feito apresentações constantes em diversas cidades de Mato Grosso do Sul. A iniciativa conta com apoio da Enersul, Dicorel, Comper e Plaenge para realizar sua atividades.

Leia Também