Domingo, 19 de Novembro de 2017

Comércio aposta em alta de 10% nas vendas para mães

15 ABR 2010Por 04h:29
ADRIANA MOLINA

Considerada a segunda melhor data para o comércio, ficando atrás apenas do Natal, o Dia das Mães, neste ano, deve receber incremento de 10% nas vendas do setor, em relação ao mesmo período do ano passado. A estimativa é da Federação do Comércio de Mato Grosso do Sul (Fecomércio-MS), que aposta no melhor momento vivido pela economia brasileira para superar o faturamento registrado em 2009.

“No ano passado ainda estávamos sob os reflexos da crise nos Estados Unidos e as vendas não foram tão boas. Mas hoje o cenário é outro”, diz o vice-presidente da entidade, Edison Araújo, se referindo à capitalização dos consumidores, aumento da geração de empregos no País e maior acesso ao crédito. Os fatores têm influenciado a economia em geral e elevado o poder de consumo da população.

E com a expectativa de que os lucros serão maiores neste ano, os comerciantes resolveram se antecipar, preparando os estoques e planejando campanhas publicitárias maciças para o Dia das Mães. O gerente de uma loja de roupas em Campo Grande, Horácio Rodrigues Correa Junior, relata que, por conta do otimismo, desde dezembro de 2009 a fábrica da grife iniciou o planejamento para a data, com o objetivo de otimizar a produção e ampliar a oferta de produtos.
“Fizemos a escala em dezembro para em março iniciar a confecção das mercadorias, que neste ano estão 20% maiores em volume, e têm peças para todas as idades, das mães mais jovens até as senhoras”, explica, lembrando que antes a loja era voltada apenas para o público jovem e que a expansão da gama de produtos deve fazer com que as vendas cresçam em cerca de 15%. Já o investimento em propaganda deve começar no dia 1º de maio, próximo à data de pagamento dos trabalhadores, que geralmente fica entre dia 1º e 10 de cada mês.

O que dar e quanto gastar
A previsão dos comerciantes é de que as vendas comecem a ficar aquecidas entre 3 e 8 de maio, quando poderão representar mais de 50% do volume esperado no Dia das Mães. “É que brasileiro deixa sempre para a última hora”, justificou a funcionária de serviços gerais Rita de Cássia Pedro, ao dizer que deve comprar uma blusa para a mãe, com valor aproximado de R$ 30, mas vai deixar para sair à procura quando a data estiver mais próxima.

E a escolha de Rita é a da maioria dos filhos no Estado, conforme verificado pela Fecomércio-MS. Entre os artigos mais vendidos nessa época, aparecem em primeiro lugar os de vestuário, seguido pelos calçados, perfumes, joias e as flores − presente definido para a mãe de Wilma Dantas Diniz e que, ao contrário dos demais, precisa ser comprado de última hora por ser sensível. “Sempre dou flores porque ela gosta muito e é uma coisa rápida, bonita e com preços variados”, explica, revelando que deve desembolsar cerca de R$ 30 no agrado para a mãe.

Já estudante Wesley Costa optou por relógio com valor médio de R$ 100. “Já decidi que será um relógio, mas vou deixar para pesquisar o modelo mais adiante”, disse, revelando que acredita que as opções serão maiores e a concorrência do período deve ajudar reduzir os preços. De acordo com a federação, o valor gasto na compra dos presentes no Dia das Mães em Mato Grosso do Sul neste ano deve ficar entre R$ 70 e R$ 80.

Leia Também