Sábado, 18 de Novembro de 2017

CRIME AMBIENTAL

Comerciante é preso ao tentar sair de MS com mil canários

9 SET 2010Por 21h:28
Thiago Gomes

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) interceptou, na madrugada de ontem, no km 21 da BR-262, em Três Lagoas, um lote de mil canários que estavam sendo traficados pelo comerciante J.A.J., 46 anos.  As aves encontravam-se presas em 30 gaiolas, na caminhonete F-250, KLT W20, com placa de Cotia (SP), conduzida pelo comerciante.
Os pássaros, embarcados próximo ao aeroporto de Campo Grande, seriam entregues em Barueri (SP), onde J.A.J. reside. Há menos de 30 dias, policiais federais lotados em Corumbá apreenderam 500 canários.
De acordo com o capitão Mauro Fernandes, que comanda a Polícia Militar Ambiental (PMA) em Três Lagoas, alguns canários já apresentavam ferimentos e começavam a morrer. O comerciante foi multado adminstrativamente, pela PMA, em R$ 500 mil. Suspeita-se que as aves eram procedentes do Peru.
De acordo com as informações, a equipe da PRF, em trabalho de patrulhamento na BR-262, barrou a Ford F-250, vermelha, dirigida por J.A.J. Sob a capota marítima do veículo os policiais encontraram as gaiolas com dezenas de canários. A PMA de Três Lagoas foi acionada e compareceu ao local, constatando que se tratava de um carga de mil aves, identificadas inicialmente como canários-da-terra.
O motorista da caminhonete afirmou que tinha viajado ao Paraguai com a família, para fazer compras e que, ao passar por Campo Grande, encontrou uma pessoa com uma van, próxima ao aeroporto internacional. O homem, que não teve a identidade revelada, teria oferecido R$ 5 mil para J.A.J. transportar os pássaros, que seriam entregues em uma praça de Barueri, para uma pessoa conhecida como “Joaquim”.
O comerciante afirmou que teria, então, embarcado os familiares no aeroporto da Capital e feito a transferência dos pássaros, que já estavam presos em gaiolas embaladas em sacolas, dentro da van, para sua caminhonete.
A PMA suspeita que os canários sejam peruanos, devido ao tamanho e cor bem mais amarelada, um pouco diferentes do Sicalis flaveola – canário-da-terra. As aves foram encaminhadas para o Centro de Reabilitação de Animais Silvestres (CRAS), em Campo Grande, que dará a elas o destino adequado.
Conforme a PMA, em se confirmando que a aves sejam peruanas, o Ibama deverá providenciar o proceso de repatriamento
A Ambiental informou, ainda, que J.A.J foi autuado administrativamente e multado em R$ 500 mil. Ele ainda responderá por crime ambiental e poderá, se condenado, pegar pena de três meses a um ano de detenção.  A Polícia Civil de Três Lagoas cuidará da investigação para localizar os demais envolvidos no tráfico

Outro caso
No dia 9 do mês passado, agentes da Polícia Federal prenderam quatro homens que estavam traficando 500 canários-da-terra. O flagrante ocorreu no pedágio da BR-262,  ponte sobre o Rio Paraguai, distante 70 km de Corumbá. Quatro pessoas foram presas. Elas disseram à polícia que compraram os pássaros na Bolívia, por R$ 2 mil o lote.
Os canários estavam sendo transportados em dois veículos, uma Mitsubishi Pajero, apreendida, e um táxi com placa de Corumbá, distribuídos em 12 gaiolas e em condições precárias.
A Polícia Federal informou que o taxista foi liberado porque não foi comprovado seu envolvimento. Ele teria sido contratado apenas para a corrida até a capital mineira.
O bando foi indiciado pelos crimes de receptação, formação de quadrilha, maus-tratos a animais silvestres e crime ambiental, podendo ser condenado até 12 anos de prisão, além do pagamento de multas ao Ibama: R$ 5 mil por ave, caso seja da fauna brasileira, ou R$ 500 por unidade, sendo traficada da Bolívia, como alegam os criminosos.

Leia Também