Sábado, 25 de Novembro de 2017

Começa amanhã a Semana do Artesão

15 MAR 2010Por 22h:55
A partir de hoje, uma série de atividades – workshop, exposições, debates, entre outras ações – acontecerão em Campo Grande destacando a produção artesanal de Mato Grosso do Sul, que nos últimos anos apresentou impulso inédito. “Antes a única referência do artesanato local eram as criações de Conceição dos Bugres, hoje isso mudou muito, apareceram outros artesãos que com suas obras trouxeram mais identidade local à produção do Estado. No ano passado, levamos peças feitas por aqui para um evento em Curitiba, numa tarde vendemos praticamente tudo que levamos”, conta o presidente da Fundação de Cultura do Estado Américo Calheiros. O bom momento do artesanato local é reflexo direto da ação do Sebrae e do Governo do Estado, que buscam estabelecer programas que auxiliem os artesãos. “Há 15 anos, o Sebrae investe no segmento e o resultado pode ser visto agora com a qualidade e a criatividade dos trabalhos apresentados”, destaca Américo. Hoje, das 8 às 18h, abrindo o evento, acontece no Auditório do Sebrae – Avenida Mato Grosso 1.661 – workshop sobre estratégias de vendas, tendências de consumo e potencialidades do mercado corporat ivo em Mato Grosso do Sul. Amanhã, das 8h30min às 16h, no Mezanino da Fundação de Cultura – Avenida Fernando Corrêa da Costa 559 – será realizada rodada de negócios. Na quinta e sexta-feira, das 8h às 18h acontece feira de artesanato com exposição e venda de artesanato regional na entrada do Sebrae. De 19 de março até o dia 14 de abril na Casa do Artesão – acontece mais uma edição do Exposições Temporárias, com a participação de vários artesãos. No contexto dos negócios, a Semana do Artesão pretende valorizar a qualificação e colocar o produtor frente a frente com o comprador, explorando toda a potencialidade do artesanato como gerador de renda. Além dos negócios, a semana contará com a exposição dos trabalhos de artesãos participantes do projeto Comércio Brasil na Casa do Artesão dentro do cronograma das Exposições Temporárias 2010. Além de apresentar as características próprias de cada artista aliada à identidade regional impressa no Estado, a exposição é uma oportunidade única para quem gosta e procura por peças artesanais. O workshop, aberto para 80 pessoas, irá orientar os artesãos quanto às potencialidades do mercado. A rodada de negócios pretende aproximar o artesão do consumidor. Devem participar 20 grupos, com receita de negócios prevista em R$ 50 mil. Em paralelo, a Feira do Artesanato beneficiará 40 artesãos de todo o Estado, com exposição e comercialização de produtos no Sebrae. A Casa do Artesão abre Exposição Temporária para o artesanato de artistas do projeto Comércio Brasil. Os artesãos têm recebido uma atenção especial da Fundação de Cultura. O artesanato sul-mato-grossense é presença marcante no mercado nacional e a visibilidade de seus produtos artesanais é alcançada principalmente pela participação em feiras estaduais e nacionais. Profissionais do Estado também conquistaram o prêmio Top 100, do Sebrae, obtendo reconhecimento pela qualidade dos trabalhos. Além disso, a fundação vem multiplicando os núcleos de produção, por meio do projeto Artesania, que leva oficinas de diversos ramos do fazer artesanal para comunidades do interior do Estado, aproveitando sempre as potencialidades de matériaprima de cada local. Ele visa a resgatar também, os ofícios tradicionais transformandoos numa possibilidade econômica de geração de trabalho e renda nas comunidades. Entre as oficinas realizadas figuram as que usam a palha de milho e de bananeira, frutas típicas para a produção de doces em compotas e cristalizados, fibra de taboa, tecidos, crochê e bordado com motivos pantaneiros, modelagem em cerâmica, madeira, osso, bambu, cabaça, entre outras. Os artesãos recebem ainda capacitações para gestão dos produtos como formação de preços, a elaboração da identidade visual, criação de embalagem, logomarca, rótulos e material de divulgação, para agregar valor na comercialização dos produtos e atender as exigências do mercado consumidor. “A melhor forma de enaltecer o trabalho do artesão é possibilitar uma ampla parceria à divulgação de seus trabalhos e a reflexão e capacitação em seu fazer. O artesanato sul-mato- grossense cresceu em qualidade e valor cultural e hoje se situa com muita propriedade no mercado local, nacional e internacional”, destaca o presidente da Fundação de Cultura, Américo Calheiros.

Leia Também