Quinta, 23 de Novembro de 2017

Com batata e alface elevação foi de 15%

28 ABR 2010Por 20h:11

Aqueles que, além do arroz, feijão e bife, ainda incrementam o prato favorito do brasileiro com batata frita e salada de alface com tomate − muito comum em várias regiões do País, inclusive Campo Grande − passou a ter a refeição cerca de 15,8% mais cara nos últimos meses. Isso porque além das variações verificadas nos três primeiros produtos, todos os hortifrutis também tiveram acréscimos nos preços, e com percentuais surpreendentes quando colocados na ponta do lápis.

Segundo informações da Central de Abastecimento de Mato Grosso do Sul, Ceasa-MS, a batata, por exemplo, por conta das chuvas nas principais regiões produtoras, teve sua safra comprometida e com isso disparada nos preços, na ordem de 75%. A saca com 50 quilos vendida na Central passou de R$ 80 para R$ 140.

"Para o consumidor os valores não ainda maiores, considerando a margem de lucro média de 20% por quilo dos revendedores. Algumas são até maiores", explica o gerente da divisão de mercado da Ceasa-MS, Cristiano Chaves. Calculando os valores com o acréscimo do percentual apontado pelo gerente, os preços da batata passaram de R$ 1,92 para R$ 3,36 o quilo nos supermercados e verdureiros da Capital.

No caso da alface, a variação no trimestre foi ainda mais expressiva, de 120%. Por causa do excesso de chuvas nos primeiros meses do ano, a folhosa, no período subiu da média de R$ 0,99 o pé para R$ 2,19. Porém, alguns consumidores chegaram a pagar pela unidade valores na casa dos R$ 3, o que não foi muito raro em Campo Grande.

O mesmo aconteceu com o tomate, cuja média subiu de R$ 1,92 para R$ 2,88 no período (+50%). Mas houve campo-grandense que pagou até R$ 4 pelo quilo da fruta, dependendo da semana em que fez a compra. (AM)

Leia Também