Quinta, 23 de Novembro de 2017

Clima seco prejudica áreas de milho safrinha

11 MAR 2010Por 08h:32
Muitos agricultores na região de Dourados estão preocupados com o veranico que está ocorrendo há duas semanas na região, e seus efeitos ao milho safrinha recém-plantado. Aliado ao clima seco estão as altas temperaturas, com máxima de 35 graus na terça-feira, por exemplo, segundo boletim da Embrapa Agropecuária Oeste. Mas há previsão de chuvas na próxima semana. Ontem foi o último prazo para o plantio do milho financiado pelo Banco do Brasil, dentro do zoneamento agroclimático e com cobertura do Programa de Garantia da Atividade Agrícola (Proagro). A partir de agora, todo investimento nesta cultura de inverno será por conta e risco dos produtores. Segundo o agrônomo Gilberto Bernardi, ao redor de Dourados existem bolsões de seca nos quais o milho está sofrendo com a falta de água, mas em outras áreas ocorreram pancadas de chuvas isoladas nos últimos dias beneficiando as lavouras. Em março não houve registro de chuva em Dourados pela Embrapa. Os últimos dias de precipitações mais fortes foram 16 e 17 de fevereiro somando 51,2 milímetros. Depois destas datas caíram garoas fracas, de menos de dois milímetros. E desde o dia 24 não choveu mais. Isso significa nas áreas mais próximas de Dourados não cai uma gota de água há 15 dias. A massa de ar seco tem deixado os dias ensolarados, com poucas nuvens e bastante calor. O milho recém-plantado precisa de umidade para germinar e fazer o primeiro estágio de desenvolvimento. Bernardi lembrou que a safrinha foi sendo semeada conforme a colheita da soja ia seguindo, por isso “temos produtores plantando hoje (ontem) e lavouras com um metro e meio de altura, em pré-pendoamento”. A boa notícia para os produtores de milho da Grande Dourados é que existe previsão de o tempo mudar a partir de domingo, com as primeiras pancadas de chuva, devido a entrada de frente fria. De segunda a quinta-feira da próxima semana existe a possibilidade de chover 55 milímetros, indicaram ontem os institutos de meteorologia. Com esse índice pluviométrico, citou o agrônomo, todas as lavouras de milho seriam beneficiadas, desde as plantadas essa semana como as mais avançadas, evitando qualquer risco de perdas neste momento, devido a seca. A falta prolongada de chuvas causa o enrolamento das folhas, primeiro sintoma do estresse hídrico.

Leia Também