Sexta, 17 de Novembro de 2017

Classic de "cara" nova

9 ABR 2010Por 20h:39

Paulo Cruz, São Paulo

 

O crescimento da economia brasileira tem feito com que cada vez mais pessoas tenham acesso ao carro novo. E quem se destaca neste panorama são os modelos de entrada, os chamados populares, que custam menos de R$ 30 mil e respondem por mais de 70% das vendas.

Com números tão favoráveis, nenhuma montadora quer ficar de fora desse filão e tratam de dar opções ao emergente comprador de carros zero.

Um desses, e que já superou a marca de um milhão de unidades vendidas, é o veterano Corsa Classic, que tem 14 anos de vida e passa agora por uma bem-vinda plástica.

O modelo 2011 do pequeno sedã da Chevrolet ficou parecido com o chinês Sail, que já saiu de linha e contava com opcionais como airbag duplo e ar-condicionado digital, não disponíveis no modelo brasileiro. Na dianteira o Classic 2011 apresenta faróis semelhantes aos do Corsa, o capô apresenta vincos mais protuberantes e o parachoque foi redesenhado. A grade frontal também mudou e agora ostenta o emblema da montadora por cima de um friso transversal, como no Agile.

Já a traseira ganhou novas lanternas que avançam sobre o porta-malas lembrando o Corolla brasileiro da década de 90. Frisos e piscas laterais, assim como maçanetas e retrovisores na cor do carro também são novidades. Por fora, o modelo apresenta um visual mais moderno, o que não se repete na parte interna, onde não há qualquer novidade. No conjunto, o Classic mantém uma aparência antiga.

O modelo sofreu reajuste de preço e ficou R$ 1,6 mil mais caro, partindo agora de R$ 28.294. Comercializado apenas em uma versão, a LS, o sedã conta com cinco configurações disponíveis. De fábrica o modelo sai "pelado", com itens básicos como desembaçador do vidro traseiro e vidros verdes. Entre os opcionais estão ar-condicionado, direção hidráulica, vidros dianteiros e travas elétricos, alarme, e outros que podem elevar o preço do modelo a R$ 34.534. Há ainda o kit "Estilo", que traz faróis com máscara negra, protetor de soleira, rodas de alumínio aros 13 e 14 polegadas e ainda lâmpada azul – Blue Vision – para o farol e faróis auxiliares.

 

O mesmo motor

Líder do mercado de sedãs pequenos por 10 anos desde 1996, o Classic conta com o veterano motor VHCE do Corsa de 1994 que, ao longo dos anos, sofreu reconfigurações. A última, de 2009, deixou o propulsor 1.0 Flexpower mais potente. É capaz de desenvolver 78 cv com etanol e 77 cv com gasolina, e contando com torque máximo de 9,7 kgfm e 9,5 kgfm, respectivamente.

Em 2009, foram emplacadas 108.434 unidades do Classic, o correspondente a pouco mais de 1/3 do mercado de sedãs de mil cilindradas. Um recorde do modelo que tem história para contar. Até hoje, o Chevrolet Classic é o segundo modelo de três volumes mais vendido na história do país. Em breve será o primeiro, quando ultrapassar o Chevrolet Chevette, que vendeu no total 1.065 milhão de unidades, 50 mil a mais que o Classic. A expectativa da montadora é comercializar 11 mil unidades do modelo por mês, número 20% superior. Atualmente o veterano sedã é produzido nas fábricas de São Caetano do Sul e São José dos Campos, em São Paulo, e na planta de Rosario, na Argentina.

Leia Também