Segunda, 20 de Novembro de 2017

Cinco secretários devem deixar o governo

24 MAR 2010Por 09h:57
Cinco secretários e o presidente do Inmetro (Instituto de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial), Ademir Osiro (DEM), devem deixar o governo do Estado até o dia 3 de abril para concorrer às eleições de outubro. Está praticamente certa a candidatura de Tereza Cristina Corrêa da Costa Dias (Produção), Edson Giroto (Obras), Carlos Marun (Habitação) e Ademir. Nilene Badeca (Educação) e Tânia Garib (Assistência Social) foram convidadas para concorrer, respectivamente, à deputada estadual e federal, mas ainda não decidiram se vão entrar na disputa. O balanço foi repassado ontem pelo líder do governo na Assembleia Legislativa, deputado Youssif Domingos (PMDB). Segundo ele, Giroto (PR) vai concorrer a deputado federal e Marun (PMDB) a deputado estadual. O projeto político dos secretários acaba com o sonho do vice-governador Murilo Zauith (PMDB) de ter um dos dois como seu suplente na batalha por vaga de senador. O futuro de Tereza Cristina (PSDB) também está praticamente definido. No domingo passado, ela esteve no apartamento do governador André Puccinelli, juntamente com o presidente regional do PSDB, deputado Reinaldo Azambuja, e com senadora Marisa Serrano (PSDB). Os tucanos foram discutir a data que a secretária vai deixar o governo para concorrer a deputada federal. “O André ficou de dar uma resposta no próximo sábado”, contou Azambuja. Da mesma forma, Ademir deverá deixar o cargo para disputar vaga na Câmara dos Deputados, pelo DEM. No caso de Nilene Badeca (PMDB) e Tânia Garib (PMDB), o desfecho ainda não foi definido. “Elas foram convidadas pelo partido, mas ainda não decidiram se vão deixar o governo para disputar as eleições”, disse Youssif. De acordo com fonte próxima do governo, Tânia Garib está mais propensa a concorrer a vaga na Câmara dos Deputados. No lugar dos secretários, deverão assumir os cargos funcionários das respectivas secretarias. “Pelo menos esta foi a última posição do governador”, frisou Marun. “Mas o André ainda não bateu o martelo”, completou. Segundo ele, o novo secretário de Habitação deverá ser definido amanhã. Ainda conforme Marun, os secretários vão antecipar a saída do governo para o dia 31 de março. “Dia primeiro de abril é ponto facultativo, dia 2 é feriado e dia 3 é sábado”, explicou. Pela lei eleitoral, os detentores de cargo de confiança devem obrigatoriamente sair do governo até 3 de abril. O primeiro a deixar o Executivo para concorrer no pleito de outubro, no dia 23 de fevereiro, foi o secretário-adjunto do Meio Ambiente, Márcio Monteiro, que também é vicepresidente do Diretório Regional do PSDB. Ele disputará vaga na Assembleia Legislativa.

Leia Também