Sábado, 18 de Novembro de 2017

Chery, a nova chinesa em nosso Estado

23 JUL 2010Por 10h:45
Mais uma marca de “olhos puxados” abriu concessionária em Campo Grande. A chinesa Chery está funcionando na Av. Joaquim Murtinho, 2.293, já próximo à Av. Ceará, no antigo prédio da Peugeot Biarritz. Reginaldo Batista, gerente da concessionária, nos conta, na entrevista abaixo, que a montadora tem planos ambiciosos para o mercado brasileiro, que se tornou uma das vedetes do cenário automotivo mundial.

A Chery é uma chinesa que tem pretensões ambiciosas em nosso mercado. Como é a marca?
A Chery já definiu o Vale do Paraíba, no interior paulista, como destino de sua fábrica no Brasil. A empresa pretende investir US$ 500 milhões em uma unidade com capacidade para 100 mil automóveis por ano. Os chineses estariam também avaliando áreas em Taubaté, Jacareí e São José dos Campos.
Sabemos que a Chery tem o projeto de 3 motores flex para atender ao  mercado local e isso mostra o compromisso de crescimento no Brasil.

Quais modelos se destacam na linha?
Recentemente, a Chery apresentou o Cielo, que chegou nas versões  hatch e sedan por R$ 41.900, equipado com motor 1,6 de 119 cavalos, freios a disco nas 4 rodas, A.B.S e E.B.D, além de duplos airbags, ar-condicionado, vidros e travas elétricas e direção hidráulica. Com garantia de três anos, o carro é o terceiro oferecido pela marca, que concentra suas operações no País em Salto (SP). A Chery já lançou o Tiggo e comercializa o Face. Esses modelos têm feito sucesso nas ruas brasileiras. Ainda temos que melhorar mais nossas vendas, para que as pessoas vejam o carro rodando, e isso está acontecendo.
Nossos carros são completos e oferecem excelente conforto, baixo consumo de combustível, e um valor baixo, proporcionando um ótimo custo/benefício.

Os modelos chineses ainda enfrentam certo preconceito quanto a qualidade de seus veículos. Como vencer isso?
Vivemos novos tempos e a Chery veio para desmistificar que os asiáticos são de qualidade duvidosa. Isso já aconteceu com as marcas japonesas e depois com as coreanas, que hoje contam com grande prestígio no Brasil. Acredito que vamos demorar bem pouco para ganhar a credibilidade dos consumidores brasileiros.

O que podemos destacar no atendimento ao cliente? Podemos confiar num estoque de peças, por exemplo?

Sim. A maior preocupação da Chery é com o pós-vendas. Entendemos como qualidade no atendimento um custo operacional baixo, com facilidade de compra de peças a um preço justo. Além disso, primamos pelo que é cobrado na oficina. O cliente tem que estar satisfeito em todas as fases de sua compra e vida com o carro de nosso marca.

Temos uma nova leva de marcas em nosso país. Além das japonesas, temos agora o fortalecimento das coreanas e a chegada das chinesas e indianas. Como a concessionária vê a entrada de novas marcas no mercado?
É benéfica essa concorrência, principalmente para o consumidor, que tem mais opções a sua escolha. Com isso o número de vendas fica mais dividido entre as marcas. Esperamos vender no País cerca 1.500 unidades por mês e, em nosso Estado, entre 40 e 50 unidades, por mês, inicialmente.

Esta coluna tem apoio da
Fenabrave regional MS.
www.fenabravems.com.br

Leia Também