Domingo, 19 de Novembro de 2017

Cesta básica acumula alta de 3,3% este ano na Capital

6 MAR 2010Por 03h:54
A cesta básica com 44 produtos, recomendada para famílias com cinco pessoas, acumula alta de 3,39% neste ano, e ficou 1,15% mais cara em fevereiro, quando foi vendida a R$ 981,74 em Campo Grande. Em janeiro, ela era comprada com R$ 970,54. As informações constam no levantamento mensal da Secretaria de Estado do Meio Ambiente, das Cidades, do Planejamento da Ciência e Tecnologia (Semac). Dos itens que compõem a cesta, 21 tiveram alta nos preços. No grupo alimentação, a pesquisa constatou alta de 1,28%. A laranja, em período de entressafra, teve os valores elevados em 13%. Outros itens também pesaram no bolso: tomate (10,71%); açúcar (9,55%); alho (7,69%); alface (5,92%); feijão (5,90%); carne (5,44%); abobrinha (5,36%); arroz (3,89%) e pão (3,56%). Mais baratos Na cesta, 18 produtos tiveram redução de preços, entre eles o mamão, 10,26% mais em conta por causa da expansão da área plantada e da boa produtividade. A maior oferta da fruta no mercado interno derrubou os preços. Mesmo caso da cebola, que chegou em maior quantidade às gôndolas em consequência da safra e importação, e teve valores reduzidos em 4,73%. Higiene e limpeza O grupo higiene pessoal registrou variação negativa de 0,29%. O produto de maior queda foi o papel higiênico (13%), seguido de absorvente (8,39%); creme dental (2,1%); e lâmina de barbear (2%). Os valores dos itens do grupo l impeza domést ica apresentaram baixa de 0,54%. O detergente recuou 4,49%, mais do que cera em pasta (2,22%); sabão em barra (1,49%) e sabão em pó (0,58%). Já o desinfetante e a esponja de aço subiram 4% e 2,88%, respectivamente, nas prateleiras dos supermercados. Solteiros A cest a ma is en xut a, composta por 15 produtos e recomendada para um trabalhador adulto, acumula alta de 7,75% em 2010, vendida a R$ 215,34. Em fevereiro, o aumento foi de 4,59%, em comparação com o mês anterior. Para comprar os itens avaliados pelo levantamento, o morador de Campo Grande que recebe salário mínimo de (R$ 510) deixou 42,2% do rendimento no supermercado. Dos produtos que compõem a cesta básica dos solteiros, 12 registraram alta. Entre eles estão laranja (13,11%), tomate (10,63%); e açúcar cristal. A laranja está no período de entressafra, ou seja, a menor oferta, sem queda na procura, aumentou os preços. É a lei básica da economia que uma visita à feira livre explica. Já para entender a alta no açúcar é preciso ir mais longe. A Índia, maior produtora da commodity (mercadoria primária negociada nas bolsas de valores) freou a produção, obrigando o Brasil a vender mais ao mercado internacional. A exportação mais consistente diminui a oferta de açúcar no País, e elevou os preços do produto.

Leia Também