Sexta, 17 de Novembro de 2017

Censo bucal vai mapear 5,2 mil domicílios

29 ABR 2010Por 06h:43
karine cortez

A população de Campo Grande e de mais seis cidades do interior do Estado estão recebendo a visita de um cirurgião-dentista acompanhado por um técnico em higiene da boca para coletar dados que servirão para o Censo Nacional de Saúde Bucal, de 2010. Só na Capital 5.200 domicílios devem ser visitados até a primeira quinzena de junho e 1.600 exames serão feitos. A análise está sendo feita de forma amostral e servirá para subsidiar o Sistema Único de Saúde na implantação de políticas sociais voltadas para o tratamento dentário.
Além de preencherem um questionário social alguns moradores das residências visitadas também serão submetidos a exame clínico para avaliação da saúde da boca. De acordo com uma das coordenadoras da pesquisa em Campo Grande, Tânia Chaves, serão examinadas crianças de 5 anos, 12 anos, adolescentes de 15 a 19 anos, adultos de 35 a 44 anos, e idosos de 65 a 74 anos. “São critérios do SUS que temos que seguir. Para cada faixa etária existe uma avaliação específica. Nas crianças de 5 anos, por exemplo, vamos avaliar presença de cárie e má oclusão que é quando a mordida está errada, mal ajustada”, enfatizou.  
Ontem os aposentados Therezinha Monteiro, 73 anos, e Nery Luzia Monteiro, 74 anos, que residem na Rua Barão de Ladário, na Vila Sobrinho, receberam a equipe e foram submetidos a exame clínico. “É uma iniciativa exemplar para a saúde do nosso Estado”, disse Nery. A dentista Bruna Holsbach explicou que em cada paciente examinado é utilizado um kit de instrumentos lacrados e esterilizados. O profissional também faz o uso de equipamentos de proteção como luvas e máscaras. No fim dos trabalhos os moradores da residência recebem um kit higiene com escova e pasta de dente.
“É ótimo essas pessoas virem na nossa casa e esclarecerem sobre os cuidados e a importância da nossa boca, dos nossos dentes. Isso evita que a gente tenha doenças provocadas pelo descuido com os dentes”, disse a aposentada Therezinha. Os especialistas recomendam que a população frequente, pelo menos de seis em seis meses, o dentista. O descuido com a boca pode resultar até mesmo no câncer bucal. Ao diagnosticarem qualquer alteração bucal na população, o cirurgião-dentista faz o encaminhamento para o Centro de Especialidades Odontológicas (CEL), da Secretaria Municipal de Saúde (Sesau).
No interior do Estado as cidades de Corumbá, Aquidauana, Santa Rita do Pardo, Coxim, Aparecida do Taboado e Terenos também estão participando do Senso da Saúde Bucal. Em Campo Grande os bairros Los Angeles, Parque do Sol e Alves Pereira. Quem tiver dúvidas sobre as equipes quando receber a visita pode ligar para a coordenadoria do senso através do número 3314-3052. O cirurgião-dentista e o auxiliar estarão sempre com identificação do Ministério da Saúde.

Leia Também