Domingo, 19 de Novembro de 2017

Carreta bate em ônibus e deixa nove passageiros feridos

9 ABR 2010Por 09h:43
karine cortez

Nove pessoas ficaram feridas na manhã de ontem após o ônibus em que estavam ser colhido, na parte traseira, por uma carreta Volvo de placas de Orleans (SC). No momento do acidente, às 7h, havia 65 pessoas no veículo e todas seguiam para a escola ou trabalho. A colisão aconteceu na Avenida Gury Marques, saída para São Paulo e o ônibus envolvido é da Viação Cidade Morena que fazia a linha Avenida dos Cafezais/Terminal Guaicurus.

“Eu estava estacionando no ponto e de repente sentimos a batida. Quando olhei para o fundo do ônibus já vi as pessoas caídas, chorando e machucadas”, disse o motorista Ronaldo Mader, 36 anos. O condutor da carreta, João Adalton de Oliveira, admitiu que estava um pouco distraído e por isso não teria conseguido desviar a tempo de evitar a colisão com o coletivo. “Vi que o ônibus deu seta para virar e pensei que ele fosse estacionar um pouco mais para a frente. Eu não sabia que o ponto já era logo aqui e quando tirei, não deu tempo”, enfatizou.

O ponto de ônibus fica a 50 metros de um quebra-molas e nem o redutor de velocidade conseguiu evitar o acidente. “Imaginamos que o motorista do caminhão estava correndo um pouquinho e por isso não conseguiu desviar do ônibus. Já estávamos quase parados e não tinha como ele não ver”, disse o funcionário da Viação Cidade Morena, que estava no veículo e também é uma das vítimas, Cláudio Aparecido Aguiar, 41 anos. As vítimas foram atendidas pelo Corpo de Bombeiros e pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu). De acordo com os bombeiros os passageiros tiveram apenas ferimentos leves e foram encaminhados para unidades básicas de saúde.

O passageiro Jeferson Pinheiro de Souza, 41 anos, contou que estava em pé e no momento da colisão foi empurrado pelas outras pessoas e prendeu a perna em um dos ferros do ônibus. “Não consigo me mexer e estou com muita dor na perna e no pescoço”, disse. Já Patrícia do Nascimento Pereira, 29 anos, que também estava em pé e teve luxação na perna esquerda, contou o desespero das pessoas. “Foi terrível! Era gente caindo um em cima do outro e as pessoas gritando sem saber o que tinha acontecido”.

O diretor-presidente da Agência Municipal de Transporte e Trânsito (Agetran), Rudel Trindade, garantiu que o ônibus envolvido no acidente, da linha 116, não estava com lotação máxima que é de 80 passageiros. “Sempre fazemos esse controle”.

Leia Também