Quarta, 22 de Novembro de 2017

Capitão da seleção admite desgaste físico

14 MAI 2010Por 07h:50
Milão, Itália

O zagueiro Lúcio admitiu ontem que deve chegar desgastado para a disputa da Copa do Mundo. O defensor da Internazionale, junto com o lateral-direito Maicon e o goleiro Júlio César disputam a final da Liga dos Campeões da Europa no dia 22 de maio, contra o Bayern de Munique, quando o restante da seleção brasileira já vai ter iniciado sua preparação para o Mundial.

O capitão da seleção brasileira, no entanto, acredita que ele e seus companheiros de equipe não terão problemas para superar esse obstáculo e que o Brasil chega com uma equipe forte para a disputa da Copa do Mundo da África do Sul. “Vai exigir um pouco mais da gente. Até o dia 22 temos jogos importantes. Uma final de Copa dos Campeões exige muita concentração. A cobrança e a pressão são muito grandes, mas o orgulho de defender a seleção é maior. Nós vamos tirar de letra essa dificuldade”, disse.

Capitão da equipe comandada por Dunga e praticamente garantido na Copa desde que o Brasil conseguiu sua classificação, Lúcio admitiu ansiedade na hora do anúncio da convocação oficial. “O treinador já tem uma base formada na seleção, mas você sempre espera o momento de ser chamado. Daqui para frente é encarar com muita seriedade e orgulho”, completou.
Descanso

Lúcio sabe do que fala quando opina sobre o desgaste dos jogadores no período que antecede a Copa do Mundo. Ele e seus colegas da Inter de Milão não foram beneficiados pela regra da Fifa, que determina descanso para os jogadores convocados para o Mundial, no período entre 17 e 23 de maio (a seleção apresenta-se no dia 21).
No Brasil, Flamengo e Cruzeiro, que disputam a Libertadores, foram os mais prejudicados pela regra. Kléberson, do Flamengo, estaria fora do duelo contra a Universidad de Chile, no dia 20, e Gilberto, do Cruzeiro, do jogo de volta contra o São Paulo, no próximo dia 19.

Leia Também