Quarta, 22 de Novembro de 2017

Capital abrirá 80 vagas para táxi e mototáxi

24 MAR 2010Por 23h:49
Cerca de 12 anos depois, Prefeitura de Campo Grande prevê ampliação de 80 novas vagas para táxi e mototáxi, sendo 40 alvarás para cada categoria. De acordo com o diretor-presidente da Agência Municipal de Transporte e Trânsito (Agetran), Rudel Espíndola Trindade Júnior, a previsão é de que o processo de licitação esteja concluído em 60 dias. Rudel explicou que com base nas informações fornecidas pelos sindicatos das categorias, equipe da Agetran está fazendo levantamento dos pontos em Campo Grande onde devem atuar os trabalhadores que conseguirem o alvará. O edital de licitação está em fase final de elaboração e será encaminhado para análise do prefeito Nelsinho Trad nas próximas três semanas. “Essa é uma quantidade suficiente porque não adianta abrir muita vaga e ficar com veículo parado porque cria um desequilíbrio econômico para o trabalhador”, justificou. Atualmente, a quantidade de táxis e mototáxis na Capital é a mesma, ou seja, 438 veículos em cada categoria. Segundo o diretor, o aumento no número de alvarás é uma reivindicação dos sindicatos, que sugeriram locais onde podem ser instalados novos pontos para permanência dos profissionais. Pré-requisito Qualquer pessoa pode participar da licitação – com exceção de empresários –, no entanto, terão prioridade aqueles que apresentarem carros com itens de conforto e segurança, como grande capacidade do bagageiro, quatro portas, freio ABS e air bag. Também é pré-requisito comprovar tempo de exercício na profissão, o que favorece as pessoas que hoje atuam como auxiliares dos taxistas e mototaxistas. “Quem já tem alvará não consegue outro”, garantiu Rudel, explicando que após a publicação do edital o interessado precisa adquirir o documento – que não deverá custar mais que R$ 30 –, preencher formulário e aguardar a abertura das propostas dos candidatos. Com base nas informações fornecidas, uma comissão de licitação irá definir os vencedores. Novos pontos Alguns profissionais serão distribuídos em pontos já existentes, enquanto outros passarão a atuar em pontos de táxi e mototáxi, que serão abertos pela Agetran. O diretor explicou que está prevista a criação de quatro locais de permanência para cada categoria. Segundo ele, os sindicatos apontaram regiões onde aumentou a demanda de passageiros em função da inauguração de comércios. Rudel disse que existe sugestão para abertura de ponto de táxi, com vaga para três veículos, nas proximidades da Universidade Católica Dom Bosco (UCDB), outro com capacidade para quatro vagas, no Supermercado Comper, loca l izado na Avenida Eduardo Elias Zahran e no Shopping Norte- Sul Plaza. Foram sugeridos ainda pontos de mototáxi próximo ao Hospital El Kadri, no Bairro Maria Aparecida Pedrossian e também na Rua Gerônimo de Albuquerque, que fica no Bairro Nova Lima. “Curiangos” Embora qualquer pessoa possa participar do processo de licitação, a comprovação de tempo de exercício da profissão beneficia os auxiliares dos taxistas e mototaxistas, também conhecidos como “curiangos”. De acordo com o presidente do Sindicato dos Mototaxistas, Dorvair Boaventura, atualmente 402 pessoas trabalham como auxiliares em Campo Grande e, algumas delas esperam há 12 anos a oportunidade de conseguir um alvará. Dorvair contou que quando da criação da categoria na Capital, em 1997, 1.500 candidatos prestaram concurso público para disputar 350 vagas. Todos passaram por fases eliminatórias, como teste psicológico e capacitação para transportar pessoas. Cerca de um ano depois, a prefeitura liberou mais 88 alvarás para quem ficou na l ista de espera. Já o presidente do Sindicato dos Taxistas, João Santana, disse que mais de 600 pessoas atuam como auxiliares de taxistas, sendo que algumas há 25 anos exercem o cargo. Ele explicou que a última concessão de alvará por parte da administração municipal foi há 13 anos, quando abriu 32 novas vagas.

Leia Também