Terça, 21 de Novembro de 2017

Candidatura pode colocar PMDB e PSDB em confronto

29 MAR 2010Por 10h:29
A candidatura ao Senado da prefeita de Três Lagoas, Simone Tebet (PMDB), poderá provocar o confronto do PMDB com o PSDB nas eleições de 2014. O primeiro desafio dela é ajudar na reeleição do governador André Puccinelli (PMDB) na condição de candidata a vicegovernadora. Se não houver desfechos políticos, a campanha de 2014 colocará duas mulheres na disputa por uma única vaga ao Senado. De um lado estará Simone e, de outro, a senadora Marisa Serrano (PSDB). Ao contrário das eleições anteriores, Marisa poderá entrar na campanha, pela primeira vez, sem o apoio do seu ma ior a l iado: governador André Puccinelli, além do PMDB, que sempre foi parceiro do PSDB nos embates eleitorais com o PT, adversário comum dos dois partidos. André decidiu deixar Marisa de lado para apostar em Simone, liderança emergente da política de Mato Grosso do Sul e filha do senador Ramez Tebet (PMDB), morto em 2006. O governador assumiu o compromisso de ajudá-la a seguir os passos do pai. A atitude de Puccinelli deixa Marisa fora de seus planos nas eleições de 2014. A senadora, sem respaldo político de André e estrutura do PSDB, poderá desistir de concorrer à reeleição. Os tucanos não acreditam nesta hipótese. No PMDB, a expectativa é pelo embate de duas mulheres na campanha eleitoral. Marisa não esconde a preocupação com a ascensão de Simone na política estadual. Ela reagiu à indicação da prefeita de Três Lagoas para ocupar a vaga de vicegovernadora na chapa de André. A crítica de Marisa reside no fato de André escolher a parceira de chapa sem consultar os partidos aliados. O governador nem sequer deu atenção às queixas da senadora. Ele não vai retirar Simone da chapa apenas para agradar Marisa. E a própria prefeita não se mostrou nenhum pouco intimidada com a pressão da senadora. A prefe it a n ão ace it a abrir mão da vaga para acomodar o vice-governador Murilo Zauith (DEM), que resiste em concorrer ao Senado sem o apoio explícito do governador. A meta da prefeita de Três Lagoas é ganhar visibilidade como vice-governadora para chegar em 2014 com condições de vencer a disputa para o Senado. Ela não vai subestimar o potencial de sua virtual rival Marisa Serrano. Mas, hoje, já leva vantagem sobre a senadora, que perdeu força eleitoral com a decisão do governador André Puccinelli de investir em Simone. A orientação do governador é para o PMDB centrar todos os esforços na eleição de Simone, em 2014, para o Senado. Com este direcionamento, Marisa não vai ter espaço no palanque do PMDB. Se quiser concorrer à reeleição, terá de lutar sozinha.

Leia Também