Sexta, 24 de Novembro de 2017

Candidato do PSOL acusa o partido de proibi-lo de gravar programa

26 AGO 2010Por 20h:48
Lidiane Kober

O candidato ao Senado pelo PSOL, Jorge Batista, acusa o partido de proibi-lo de gravar o programa eleitoral gratuito na televisão e no rádio. Em contrapartida, o presidente regional da sigla, Lucien Rezende, informou que o espaço está à disposição do candidato, mediante contribuição financeira para arcar as despesas com gravação. “Ele (Batista) tem dois minutos de propaganda, mas não quer ajudar a pagar a produtora, enquanto candidatos, com 20 segundos, estão contribuindo. Isso não é justo”, desabafou o dirigente da legenda.
Contrariado com o partido, Batista procurou, anteontem, o Tribunal Regional Eleitoral (TRE) e protocolou pedido para cancelar a propaganda do PSOL, enquanto não for regulada sua situação. Ele informou que, por diversas vezes, procurou a direção da legenda a fim de resolver o impasse. “Mas eles dizem que vão me deixar gravar só quando eu falar o que eles querem”, contou. “O presidente do partido está me perseguindo porque queria o meu lugar”, acusou.
Lucien, por sua vez, disse que Batista “só critica o partido, não constrói nada e expõe o partido na mídia”. “Em vez de ele procurar a gente para conversar ele vai atrás da imprensa e se faz de vítima”, declarou. “Porque ele não conta que anda com carro adesivado com propaganda dos candidatos do PT?”, questionou.

Leia Também