Quinta, 23 de Novembro de 2017

Caminhão perde freio e danifica oito carros

7 ABR 2010Por 23h:08
Vânya santos

Depois de perder os freios, caminhão provocou engavetamento de oito carros, deixou duas pessoas feridas e causou lentidão no trânsito da Avenida Mato Grosso, entre a Via Parque e a Rua Antônio Teodowick, no Bairro Carandá Bosque, em Campo Grande.

O episódio ocorreu por volta das 17h de ontem, quando Amando Caruso, de 47 anos, perdeu o freio do caminhão-baú F-4000, placas HQZ-1682, e atingiu primeiramente o Ford Ka, placas HTN-9968. Na sequência foram danificados os veículos Corsa Classic, placas HTG-9775; Gol, placas HTF-5035; Prisma, placas HTC-7766; Fox, placas HSF-5788; Astra, placas HTD-5028; Gol, placas HRO-0224 e, por fim, o Sandero de placas HTN-8673.

A condutora do segundo Gol atingido, Ana Carolina Silva Monteiro, foi socorrida com dores na região cervical, enquanto o motorista do Corsa Classic, Luiz Carlos Franco Vieira, foi atendido com dores na clavícula. De acordo com equipe do Corpo de Bombeiros, ambos estavam conscientes, orientados e foram levados para a Unidade de Pronto Atendimento do Bairro Coronel Antonino.

Explicação
Amando contou que saiu de sua casa, localizada no Bairro Estrela do Sul, para carregar uma mudança na Avenida Afonso Pena. Ele seguia pela Mato Grosso e, pouco antes do cruzamento com a Rua Antônio Teodowick, percebeu que o caminhão estava sem freios. “Subi na calçada para desviar de uns carros, mas quando vi que ia bater no poste voltei para a pista e o caminhão só parou quando bateu no primeiro carro”, contou o trabalhador, que depende da renda do frete para pagar as despesas do mês.

João do Couto, 40 anos, disse que seguia como passageiro no Corsa Classic e que tudo acorreu muito rápido. “Ouvi a batida e já senti cacos de vidro voando. Não consegui sair porque o caminhão prensou a porta do carro e o Luiz não conseguia falar, não sei se pela dor ou pelo susto”, relatou.
Já Wellington de Alencar, 34 anos, contou que escutou o barulho das colisões pouco antes de ter seu veículo Astra atingido. “Olhei no retrovisor, vi o caminhão desgovernado, mas não deu tempo de fazer nada”, afirmou. O trânsito no local ficou lento durante horas e teve que ser controlado por agentes da Companhia Independente de Polícia Militar de Trânsito.

Leia Também