Quarta, 22 de Novembro de 2017

Caminhão com 725 kg de cocaína saiu da rota durante 3 horas

18 MAI 2010Por 06h:51
Michelle Rossi

O caminhão baú que transportou o maior volume de cocaína já apreendido em Mato Grosso do Sul – 725 quilos – desviou-se de sua rota, no dia 8 último, logo depois de sair do Frigorífico Brasil Global, em Guia Lopes da Laguna, onde foi carregado com 17,8 toneladas de miúdos de carne. As informações são do advogado do estabelecimento, Mirgon Eberhardt, que já entregou à Polícia Federal, em Ponta Porã – que investiga o caso – dados de rota do veículo e relatório sobre todos que tiveram acesso à carga, dentro do frigorífico.

Segundo ele, ao invés de cruzar a cidade e pegar a rodovia para seguir seu destino, São Paulo (capital), o caminhão deslocou-se para uma estrada vicinal, de terra, onde ficou parado por cerca de três horas, para então chegar ao posto da Polícia Rodoviária Federal, na BR-267, onde foi apreendido. A área onde o caminhão esteve parado é de fazendas e, segundo os dados de monitoramento por satélite, não entrou em nenhuma delas, permanecendo na estrada durante o tempo de desvio da rota.

Quanto ao momento de carregamento do veículo, no frigorífico, o advogado disse que “foram cerca de 40 funcionários, incluindo-se fiscais do SIF (Sistema de Inspeção Federal, do Ministério da Agricultura) que acompanharam o processo de carregamento da carga e também são responsáveis por colocar o lacre que só pode ser retirado no destino final”. Os diretores do frigorífico ainda não foram chamados para depor, “mas encontram-se disponíveis para dar as explicações necessárias”, afirmou. Há possibilidade de o carregamento de droga ter sido colocado no baú durante o tempo em que esteve fora da rota.

Ainda de acordo com o advogado, o caminhão-baú de placa CPI-9573, de Pirapozinho (SP), pertence a uma empresa terceirizada, que faz transporte para o frigorífico há pelo menos um ano e meio. É de propriedade de Paulo José Leite de Souza, morador de Pirapozinho, que além do caminhão apreendido, possui mais um veículo de carga. Já o motorista do caminhão, Olavo Pereira da Silva, 32 anos, que está foragido desde a apreensão, transportava carga para o frigorífico há pelo menos sete meses e trabalhou tanto para a empresa de Paulo José, quanto para outras empresas terceirizadas que já fizeram transporte para o frigorífico. O advogado disse que esta é a primeira vez que a empresa tem uma carga apreendida. “Foi uma surpresa para todos nós. O pessoal do frigorífico ficou bastante apreensivo com a notícia”, apontou.

Leia Também