Domingo, 19 de Novembro de 2017

Bovespa fecha em alta e dólar recua a R$ 1,83

3 FEV 2010Por 07h:28
A Bolsa de Valores de São Paulo – Bovespa deu sequência ao bom humor visto na jornada de anteontem, subindo 0,89%, com investidores recuperando parte de uma forte sequência de perdas nas últimas semanas de janeiro. A taxa de câmbio doméstica voltou a ceder e ficou em R$ 1,83. O dólar comercia l foi cotado por R$ 1,830, em decréscimo de 1,66%. A taxa de risco-país marca 230 pontos, número 0,43% acima da pontuação anterior. Embora as preocupações com China, Grécia e EUA continuem no radar de investidores e analistas, o mercado segue em uma relativa “trégua” nesta semana, com a expectativa de que as empresas continuem a entregar resultados dentro do previsto. Também há um certo otimismo a respeito de um dos indicadores mais importantes programados para o período. “Para fevereiro (...) é esperada, na média, uma melhora em relação aos dados divulgados em janeiro de 2010. O destaque, por enquanto, fica para o ‘non farm payroll’ (folha de pagamentos do setor não rural), cuja variação mostrou eliminação de 85 mil vagas em dezembro, ao contrário do que esperava o mercado. No entanto, para janeiro, as projeções apontam para um retorno do dado ao campo positivo”, comenta a equipe de analistas da corretora Spinelli, em relatório sobre as expectativas para o mês. Entre as principais notícias do dia, a NAR (Associação Nacional de Corretores de Imóveis, na sigla em inglês) reportou que as vendas pendentes de imóveis nos EUA tiveram aumento de 1% em dezembro, em linha com as expectativas do setor financeiro, após o forte decréscimo de 16,4% em novembro. Ainda no front externo, a Eurostat, a agência europeia de estatísticas, registrou inflação de 0,1% em dezembro nos países da zona do euro, pela leitura do PPI (índice de preços ao produtor industrial), que mede a variação dos preços no atacado. E as vendas do setor varejista alemão tiveram aumento de 0,8% em dezembro. O IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) revelou que a produção industrial brasileira teve contração de 7,4% em 2009, o pior resultado anual desde 1990. Em dezembro, a indústria teve retração na produção pelo segundo mês consecutivo. O IPC (Índice de Preços ao Consumidor), da Fipe-USP, teve variação de 1,34% em janeiro no município de São Paulo, a maior alta mensal desde fevereiro de 2003. A Fipe revisou suas projeções e já espera inflação mais alta em 2010, próxima de 5%.

Leia Também