Quinta, 23 de Novembro de 2017

Bovespa avançou 5,8%, maior ganho mensal desde novembro

1 ABR 2010Por 21h:08

São Paulo

 

Investidores foram às compras nas últimas horas do pregão de ontem e empurraram a Bolsa de Valores de volta ao patamar dos 70 mil pontos, o nível de preços mais alto desde 13 de janeiro. A Bovespa (Bolsa de Valores de São Paulo) conseguiu descolar das Bolsas americanas, onde imperou a frustração com os novos números do mercado de trabalho local.

No mês, a Bolsa de Valores acumulou alta de 5,82%. Trata-se da maior valorização mensal desde novembro do ano passado; no trimestre, o ganho é de 2,60%.

O Ibovespa, principal índice de ações da Bolsa paulista, subiu 0,59% no fechamento, batendo os 70.371 pontos. O giro financeiro foi de R$ 6,47 bilhões. Nos EUA, a Bolsa de Nova York teve queda de 0,47%.

O dólar comercial foi vendido por R$ 1,781, em decréscimo de 0,77%. A taxa de risco-país marcou 184 pontos, número 2,20% acima da pontuação anterior.

"O fechamento de mês é sempre muito importante. Grandes investidores aproveitam para ‘zerar posições’. E sempre há o interesse dos gestores de fundos em apresentarem um melhor desempenho das carteiras. Isto quer dizer que sempre há alguma ‘distorção’ no movimento desses dias", comenta Guilherme Mendes Franco, gerente da mesa de operações da corretora Corval. "Mas nós podemos dizer também que o mercado está com perspectivas um pouco mais positivas. Acho que o investidor ‘comprou’ os fundamentos da economia brasileira, que estão bons, na Bolsa", acrescenta.

A ação preferencial da Vale foi, de longe, o papel mais negociado da Bolsa, movimentando R$ 781 milhões no pregão de ontem. A mineradora conseguiu reajustar em quase 100% o preço do minério de ferro com alguns de seus clientes, o que chamou a atenção para suas ações, que valorizam com força ao longo deste ano.

Outro papel bastante influente na Bolsa, a ação preferencial da Petrobras, teve ganhos de 1,69%, com um volume financeiro de R$ 580 milhões.

Entre as principais notícias do dia, a consultoria privada ADP registrou uma destruição de 23 mil postos de trabalho no setor privado em março nos EUA. Economistas do setor financeiro contavam com uma geração de 40 mil vagas para este período.

Leia Também