Sábado, 18 de Novembro de 2017

Violência

Borracheiro é morto a golpes de marreta

1 FEV 2010Por 07h:20
Um homem de aproximadamente 50 anos, identificado apenas como Severino, foi encontrado morto no início da manhã de ontem, dentro de uma borracharia onde trabalhava, localizada no Bairro Jardim Veraneio, em Campo Grande, próximo ao minianel que liga as saídas para Cuiabá e São Paulo. Segundo a polícia, o corpo da vítima tinha marcas de marretadas na cabeça. O borracheiro havia sido contratado havia quatro dias para trabalhar como diarista, conforme informou o proprietário do estabelecimento, que disse não saber mais detalhes sobre o funcionário. Até o fechamento desta edição, a vítima não havia sido reconhecida, pois o corpo foi encontrado sem documentos e nenhum familiar procurou a polícia ou o Instituto de Medicina e Odontologia Legal (Imol). Após avistar o corpo, um vizinho acionou a polícia por volta das 6 horas e 30 minutos de ontem. O cadáver estava em cima de um colchão e há possibilidade de o homem ter sido morto enquanto dormia. O caso foi registrado como morte a esclarecer, pois, segundo o delegado plantonista da Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário (Depac), João Eduardo Davanço, ainda não há subsídios para determinar se o assassinato foi ou não precedido de roubo, o que caracterizaria latrocínio. A dúvida teria surgido porque o borracheiro foi encontrado sem a carteira dele. O caso está sendo investigado pela Polícia Civil. Corumbá Jonas Natheus Menacho, de 33 anos, morreu após ter sido atingido por golpes de faca, na noite do último sábado (30), em Corumbá. Conforme o boletim de ocorrência, a Polícia Militar foi acionada para comparecer à Rua Albuquerque Roque, no Bairro Maria Leite, onde o Corpo de Bombeiros havia socorrido uma vítima que teria sido ferida com golpes de faca. No local, os policiais foram informados por moradores sobre o socorro, porém ninguém havia testemunhado o crime. O homem ferido, identificado pelo apelido de “Ruquinho”, foi levado ao pronto socorro, porém, já estava morto quando chegou ao local. Investigadores da 1ª Delegacia de Corumbá apuram o caso.

Leia Também