Sexta, 24 de Novembro de 2017

Bom resultado no gado só com boa suplementação

31 MAI 2010Por 08h:30
O pecuarista que quiser obter bons resultados na prática de suplementação de seus animais a pasto, deve observar dois pontos de grande importância para o sucesso do programa: a frequência com que é fornecido o suplemento; e a facilidade de acesso do animal ao suplemento.
Trabalhos recentes têm mostrado que não há variação nas diferentes frequências de suplementação (diário ou 3 a 4 vezes por semana). No entanto, para reduzir a frequência de fornecimento de suplemento, deve-se lançar mão do uso de limitadores de consumo e ajustando sempre a quantidade a ser colocada no cocho em função do consumo diário desejado. A recomendação é que sempre que o animal chegue ao cocho ele possa encontrar o concentrado.  
Para melhor compreensão é mostrado um exemplo:
Número de animais no lote = 100;
Consumo diário do suplemento desejado = 0,500 g/cab/dia; consumo total de suplemento no lote = 50 kg/dia;
Frequência de suplementação = a cada 3 dias;
Quantidade de suplemento a ser colocado do cocho = consumo diário x número de dias = 50 kg/dia x 3 dias = 150 kg.
O horário de fornecimento do suplemento vai depender do manejo da fazenda. A melhor hora para fornecer o suplemento é quando os animais não estão pastejando. Quando se fornecem suplementos diariamente, principalmente os proteicos durante o período da seca, temos observado sensível melhora no desempenho quando fornecidos no período da tarde. A explicação é bastante simples, pois pela manhã (final da madrugada e parte da manhã) o animal tem pastejo bastante intenso.
Uma justificativa para não fornecer o suplemento no início da manhã é que os animais diminuiriam o tempo de pastejo e o consumo de forragem e, no período da tarde geralmente os animais estão em ócio. Outra justificativa é que a forragem demora de 5 a 6 horas para iniciar a degradação e “liberação” de carboidratos para o meio, isto ocorre em função do tempo que as bactérias levam para se aderirem à fibra da forragem e iniciar a degradação. Ao suplementar no período da tarde, devido à alta solubilidade da proteína do suplemento, há sincronismo entre a liberação de energia e nitrogênio, otimizando a síntese de proteína microbiana. Portanto, o fornecimento dos suplementos devem ser feitos do meio da manhã até o meio da tarde.

Curso
Esse e outros temas relacionados à suplementação proteico-energética serão abordados no Curso Online Suplementação proteico-energética de bovinos de corte a pasto, que terá início no dia 17 de junho próximo. Neste curso, os alunos aprenderão os princípios essenciais da suplementação e a avaliação econômica do uso da suplementação a pasto para a produção de carne. Além disso, utilizarão informações aplicadas de suplementação nas águas e na seca e de suplementação de fêmeas e bezerros com creep-feeding.
O curso será realizado pela Agripoint e o interessado deve procurar mais informações e fazer sua inscrição pelo site www.agripoint.com.br/suplementacao-corte.

Leia Também