Sexta, 17 de Novembro de 2017

Bolsa sobe 0,31% puxada pela Vale

23 MAR 2010Por 08h:26
A Bovespa (Bolsa de Valores de São Paulo) teve um dia volátil, oscilando sem firmar uma tendência durante boa parte do pregão de ontem. Cauteloso com o imbróglio grego, e de olho em Índia e China, o investidor somente animou-se a voltar às compras depois que as Bolsas americanas firmaram trajetória de alta. O Ibovespa, índice que reflete os preços das ações mais negociadas, subiu 0,31% no fechamento, aos 69.041 pontos. Nos EUA, a Bolsa de Nova York fechou em alta de 0,41%. Analistas destacaram a reação positiva do mercado local à aprovação da reforma do sistema de saúde pela Câmara dos Representantes. O volume de negócios, no entanto, não foi alto: R$ 5,10 bilhões, abaixo dos quase R$ 7 bilhões movimentados todos os dias nos pregões deste mês de março. O giro também foi concentrado em poucos papéis. Somente a ação preferencial da Vale teve negócios de meio bilhão de reais e praticamente puxou a recuperação da Bolsa brasileira, valorizando 1,11%. A outra ação preferida pelos investidores, a ação preferencial da Petrobras, não saiu do lugar: teve leve alta de 0,02%, tendo um giro calculado em R$ 485 milhões. A estatal do petróleo revelou lucro líquido de R$ 28,9 bilhões para o exercício do ano passado, cifra 12% menor que os ganhos apurados em 2008. O resultado decepcionou alguns analistas, mas que preferiram destacar outras questões para explicar a trajetória das ações. A começar pelas dúvidas que ainda pairam sobre o processo de capitalização da empresa. “As questões relacionadas ao andamento dos projetos de mudança na regulamentação da exploração de petróleo no Brasil (...), e consequentemente a capitalização da empresa, são questões decisivas para a avaliação dos investidores”, comenta Mônica Araújo, analista da Ativa Corretora, em seu relatório sobre os resultados da empresa. Dólar O dólar comercial foi negociado por R$ 1,800 (leve alta de 0,05%) na venda, o preço mais alto desde o final de fevereiro.

Leia Também