Quinta, 23 de Novembro de 2017

Bienal de teatro investe em grupos do interior de MS

23 JUN 2010Por 07h:59
Thiago Andrade

O teatro produzido em Mato Grosso do Sul receberá um grande incentivo este ano. A primeira edição da Bienal Cena do Mato, produzida pela Associação de Desenvolvimento Artístico-Cultural Mercado Cênico e financiada pelo Fundo de Investimentos Culturais (FIC/MS), será promovida entre os dias 14 e 18 de julho e tem como principal objetivo permitir que grupos teatrais do interior de Mato Grosso do Sul apresentem-se na Capital, integrando-se com as trupes campo-grandenses, além de participar de oficinas de formação.

Segundo Victor Hugo Samúdio, diretor do Mercado Cênico e organizador do evento, serão selecionados cinco espetáculos do interior e três de Campo Grande, que se apresentarão durante o evento. As inscrições estão abertas até segunda-feira, tanto para os grupos quanto para os oficineiros, e podem ser feitas pelo site www.cenadomato.com. “Essa bienal é uma forma de voltar os olhos para o nosso teatro e promover seu desenvolvimento”, acredita Samúdio. O evento também homenageará, a cada edição, um profissional do teatro de Mato Grosso do Sul.

O projeto era uma ideia antiga do diretor, nascida de viagens e apresentações do Mercado Cênico pelo interior e por cidades pequenas de outros estados. Samúdio percebeu que muitas regiões tinham bons grupos e espetáculos, contudo, é raro que essas peças cheguem à Capital. “As dificuldades são muitas, mas a principal é a financeira. Pensando nisso, o projeto inclui o pagamento de hospedagem e alimentação de até cinco integrantes de cada grupo”, detalha.
“Cena do Mato” pretende oferecer informação e formação aos grupos do interior. Por esse motivo, todos os selecionados permanecerão em Campo Grande até o final das programações, que acontece no dia 18 de julho. “Muitos artistas do interior têm como referência as produções daqui, portanto, daremos oportunidade para que assistam ao que há de melhor em nosso teatro”, pontua.

Quanto à formação teatral dos atores, dramaturgos e diretores, as oficinas serão elementos imprescindíveis da bienal. “Dentre os selecionados para ministrar oficinas, vamos buscar profissionais renomados, oferecendo conhecimentos em áreas de importância no teatro, como iluminação, direção, dramaturgia, entre outras”, detalha. Todas serão abertas ao público em geral, entretanto, Samúdio adianta que está planejada uma oficina de crítica teatral, ministrada por José Fernando Peixoto de Azevedo, voltada apenas para profissionais e jornalistas.

Seminário
Além de oficinas e espetáculos, a programação da bienal também inclui o Seminário Estadual de Teatro, para o qual serão convidados profissionais e teóricos do segmento. “A reflexão sobre a arte é mais que necessária para fomentar mudanças e promover o desenvolvimento”, ressalta.
A bienal acontecerá no Centro Cultural José Octávio Guizzo, mas, segundo Samúdio, espaços alternativos poderão ser utilizados. “Temos a ideia de criar um bar, para que possa haver alguma confraternização após as apresentações”, detalha. Em cidades como São Paulo, na Praça Roosevelt, por exemplo, aliar bares e teatro se mostrou uma ótima forma de popularizar as artes cênicas. “É um trabalho inédito no Estado. Vamos trazer os grupos e estreitar os laços, conhecer mais a forma de criação e produção deles; ensinar e aprender. Espero repetir esse trabalho daqui dois anos e com um número ainda maior de grupos do interior”, finaliza Samúdio.

Leia Também