Sábado, 18 de Novembro de 2017

Bertin adquire controle de usina de álcool de Naviraí

11 MAR 2010Por 08h:32
A Usi navi de Navi ra í, maior usina de álcool e açúcar da Infinity Bio-Energy, agora pertence ao Grupo Bertin. O acordo, fechado há alguns dias, foi confirmado ontem. Com a subscrição de novas ações, o Bertin passa a ser acionista controlador da empresa que tem plantas, além de Mato Grosso do Sul, nos estados de Minas Gerais, Espírito Santo, e Bahia. A usina sul-mato-grossense que tem capacidade de moagem de 3,2 milhões de toneladas de cana- de-açúcar, emprega 3 mil funcionários, sendo 1,45 mil canavieiros. A indústria foi a primeira adquirida pela Infinity no País, em setembro de 2006. Antes mesmo da aprovação da recuperação judicial, a empresa já negociava a venda da usina. A negociação foi a saída para a companhia reduzir as dívidas de mais de R$ 700 milhões. Em um laudo incluso no plano de recuperação judicial, a unidade produtora, máquinas e equipamentos foram avaliados em R$ 177,3 milhões. No entanto, informações davam conta de que a indústria de MS valeria, na verdade, R$ 245 milhões. A Infinity tem atualmente cinco usinas em operação, e o plano de recuperação judicial da empresa, aprovado em dezembro, já previa a entrada de novos sócios ou a venda de ativos. O Bertin fundiu no ano passado suas operações de alimentos e lácteos com a JBS Friboi, criando a maior empresa de carnes do mundo. Mas manteve algumas operações separadas, como a área de biodiesel, a de construção e a de infraestrutura. Com a Infinity, a produção de álcool ganha mais força dentro do grupo, que já é sócio da Usina São Fernando, na região de Dourados. No final de fevereiro, a Agência Estado informou que a Infinity preparava aumento de capital de R$ 180 milhões, operação que seria avaliada em uma assembleia geral extraordinária de acionistas marcada para 22 de março. Os R$ 180 milhões de aumento de capital correspondem exatamente ao valor líquido que a companhia pretendia receber pela venda da Usina Naviraí (Usinavi), em Mato Grosso do Sul, ou ainda a ser obtido por meio de um empréstimo, pelo qual a usina seria dada como garantia. A Usinavi foi a única das cinco usinas controladas pela Infinity que não foi dada como garantia aos credores que aprovaram o plano de recuperação. (com informações do site Sul News e Agência Estado)

Leia Também