Quinta, 23 de Novembro de 2017

Avião com 90 pessoas cai na costa do Líbano

26 JAN 2010Por BEIRUTE07h:36
Um avião da Ethiopian Airlines, com 90 pessoas a bordo, pegou fogo e caiu no Mar Mediterrâneo pouco depois de decolar do aeroporto de Beirute, dando início a uma frenética busca em meio a forte chuva. Pelo menos 21 corpos foram recuperados até ontem. A causa do acidente ainda é desconhecida. O Líbano enfrentava tempo ruim na noite de domingo, com trovões, raios e forte chuva. O presidente libanês, Michel Suleiman, disse que não há suspeita de terrorismo na queda da aeronave que fazia o voo 409, cujo destino era a capital da Etiópia, Adis Abeba. “Sabotagem está fora de questão por enquanto”, disse ele. “Vimos fogo caindo do céu em direção ao oceano”, disse Khaled Naser, funcionário de um posto de gasolina que viu o avião cair por volta das 2h30min (horário local), nas frias águas do Mar Mediterrâneo, que estavam a 18ºC na manhã desta segunda-feira. O Boeing 737-800 levantou voo por volta das 2h30min (horário local, 22h30min de domingo em Brasília) e caiu a 3,5 quilômetros da costa, disse Ghazi Aridi, ministro de Serviços Públicos e Transportes. Peças do avião e escombros começaram a aparecer na costa horas depois do acidentes, incluindo-se assentos de passageiros, um extintor de incêndio, sandálias infantis, malas e frascos de medicamentos. A esposa do embaixador francês no Líbano, Denis Pietton, estava no avião, segundo a embaixada francesa. Helicópteros e navios foram enviados rapidamente para ajudar no resgate enquanto ondas enormes quebravam na costa, também atingida por fortes chuvas. O executivo-chefe da Ethiopian Airlines, Girma Wake, disse a jornalistas em Adis-Abeba que a aeronave foi revisada no dia 25 de dezembro e que passou na inspeção. Ele também disse que o avião fora arrendado em setembro da empresa CIT Aerospace. Um porta-voz da companhia recusou-se a responder a perguntas sobre o avião da Ethiopian Airlines. O avião levava 90 pessoas: 83 passageiros e sete tripulantes. O ministro dos Transportes disse que os passageiros eram 54 libaneses, 22 etíopes, um iraquiano, um sírio, um canadense de origem libanesa, um russo de origem libanesa, uma mulher francesa e dois britânicos de origem libanesa. O Boeing 737 é considerado um dos aviões mais seguros do serviço aéreo. O modelo passou a voar nos anos 1960 e hoje em dia é muito usado em rotas de curta e média distâncias. A i nd a assi m, nos ú ltimos 15 anos a aeronave envolveu-se numa série de incidentes e quedas ligados a uma válvula no leme, que pode fazer com que o leme se mova independentemente dos comandos do piloto. O problema foi considerado resolvido após os operadores de velhos Boeing 737 receberem instruções para fazer inspeções e atualizações dos sistemas de controle do leme. A Ethiopian Airlines tem longa reputação de prestar serviços de alta qualidade quando comparada a outras empresas aéreas africanas. A empresa registrou duas quedas em mais de 20 anos. Um avião sequestrado da Ethiopian Airlines caiu nas Ilhas Comores, no Oceano Índico, quando ficou sem combustível em 1966, matando 126 das 175 pessoas a bordo. O avião havia acabado de deixar Adis-Abeba quando três sequestradores invadiram a cabine e exigiram que a aeronave fosse levada para a Austrália. Em setembro de 1988, um jato da Ethiopian Airlines caiu pouco depois de decolar, ao atingir um bando de pássaros, matando 31 das 104 pessoas a bordo.

Leia Também