Sábado, 18 de Novembro de 2017

Atentados em Bagdá matam 71; mais de 170 ficam feridos

18 AGO 2010Por 07h:34
AGÊNCIA ESTADO, BAGDÁ

Setenta e uma pessoas morreram e mais de 170 ficaram feridas em dois atentados perpetrados ontem, em diferentes partes de Bagdá, informaram autoridades locais. Pela manhã, um militante suicida acionou os explosivos que levava atados ao corpo em meio a centenas de recrutas do Exército do Iraque reunidos nas proximidades de um quartel militar, matando 61 pessoas e ferindo 125 em um dos ataques mais sangrentos na capital iraquiana em meses.
À noite, pelo menos 10 pessoas morreram e 46 ficaram feridas na explosão de um caminhão-tanque em Bagdá, informaram autoridades locais sob a condição de anonimato.
Os ataques representam um problema para as forças de segurança iraquianas e lançam dúvidas sobre a capacidade de protegerem o país a apenas duas semanas da retirada das tropas norte-americanas de combate.
A partir de setembro permanecerão no Iraque 50 mil militares norte-americanos, com a saída dos últimos 10 mil soldados das forças de combate.
Depois do ataque, a Casa Branca reafirmou que o episódio não paralisaria “nem a transição do Iraque para a democracia nem a retirada das forças norte-americanas”.
Os insurgentes têm ameaçado intensificar os ataques antes da saída das tropas norte-americanas e a violência aumentou nas últimas semanas. Os alvos têm sido o Exército, a polícia e outras forças de segurança, mas civis também têm sido mortos às centenas.
A primeira explosão ocorreu na área externa de uma importante divisão do quartel e do centro de recrutamento. O major-general Qassim al-Moussawi, porta-voz do Exército iraquiano, responsabilizou a Al-Qaeda no Iraque por recrutar o suicida, cuja parte superior do corpo foi encontrada no local da explosão
O ataque aconteceu por volta das 7h30min do lado de fora do prédio do Ministério da Defesa, que agora abriga o quartel-general da 11ª Divisão do Exército.
Cerca de 250 novos recrutas se apresentam no local a cada semana, pois as forças de segurança iraquianas tentam aumentar suas fileiras preparando-se para a partida dos militares norte-americanos após sete anos de guerra.
O segundo ataque aconteceu em Ur, um bairro xiita na região nordeste de Bagdá, pouco antes das 21h30min locais. Fontes em dois hospitais bagdalis confirmaram que dez pessoas morreram e 46 ficaram feridas na ação. De acordo com fontes na polícia bagdali, uma bomba foi conectada ao veículo e causou a explosão. Os responsáveis pelo ataque ainda são desconhecidos.
A violência aumentou no Iraque durante o verão deste ano (no Hemisfério Norte). Dados dos ministérios da Defesa e do Interior do Iraque mostram que no mês passado pelo menos 500 pessoas foram mortas, o que fez de julho de 2010 o mês mais sangrento na Guerra do Iraque desde maio de 2008.

Leia Também