Terça, 21 de Novembro de 2017

Assaltante do Paraná envolvido em grandes roubos na Capital

23 JUL 2010Por 22h:16
karine cortez

Paulo Fernandes de Menezes, de 45 anos, apontado como especialista em crimes de roubo contra empresas, inclusive de assaltos a bancos no Estado do Paraná, foi preso pela Delegacia Especializada de Repressão aos Crimes de roubos e Furtos (Derf), em Campo Grande. Ele foi identificado como mais um dos integrantes no roubo ao Prático do Bairro Aero Rancho, bem como no Forte Atacadista, instalado no Shopping Norte/Sul, também na Capital.
Além dos dois crimes, Paulo Menezes também confessou à polícia que atuou nos assaltos ao Supermercado Pires, no Bairro Universitário, de onde levaram R$ 13 mil; a uma distribuidora de alimentos, na Rua Brilhante, de onde foram subtraídos R$ 200 mil em lâminas de cheques; e no roubo de R$ 95 mil, no Condomínio Jardim das Paineiras, contra uma pessoa que acabara de sacar o dinheiro em um banco.

Condenação
“Ele já havia cumprido pena por assalto a banco no Paraná e cumpria pena por roubo em Campo Grande. Mas em fevereiro deste ano havia recebido autorização da Justiça para fazer tratamento domiciliar contra diabetes e não voltou mais para a cadeia”, salientou o delegado da Derf, Fábio Peró.
No assalto cometido contra o Forte Atacadista e o Prático do Aero Rancho os bandidos usaram máscaras cirúrgicas e quando questionado sobre esta prática Paulo disse ao delegado que “todo ladrão tem que estar sempre inovando”. Mas segundo Fábio Peró está descartado o envolvimento do mesmo grupo nos assaltos à Igreja Batista, na Avenida Calógeras, e ao cartório do 4º Ofício, na Avenida Afonso Pena, cujos bandidos utilizaram máscaras cirúrgicas.
“O que aconteceu é que outros grupos começaram a copiar a ideia deles e alguns até podem ter usado as máscaras no intuito de desviar o foco da investigação para o grupo do Paulo”, enfatizou o delegado Fábio Peró.
Prisão
A polícia chegou até Paulo através de investigações do serviço de inteligência da Derf. Ele foi detido na Avenida Fernando Corrêa da Costa nas proximidades da Rua 13 de Maio quando, segundo o delegado Fábio Peró, iria praticar outro assalto. “Ele não confessou, mas tudo indica que ele ia cometer algum crime porque estava com a moto Falcon, usada sempre nas ações, e com um capacete no braço”, salientou o delegado.
Ao ser rendido, Paulo tentou pegar a pistola de um dos policiais e ainda tentou fugir com a moto, mas foi imobilizado pela equipe da Derf.

Produto de assaltos
Durante revista pessoal, os policiais da Delegacia Especializada de Roubos e Furtos encontraram na cintura de Paulo uma pistola .40, pertencente à Secretaria Estadual de Justiça e Segurança Pública (Sejusp) que foi roubada de um policial militar durante o assalto no Prático do Aero Rancho. Além disso, a polícia também encontrou na residência de Paulo a quantia de R$ 20 mil provenientes do roubo no condomínio Jardim das Paineiras.

Rede de relacionamentos
Em depoimento à polícia, Paulo disse que não conhecia os comparsas e revelou uma “rede de relacionamentos” que os bandidos adquirem dentro dos presídios e quando ganham a liberdade começam a contatar as pessoas para praticar os crimes. Conforme o delegado Fábio Peró, Paulo contou que fazia contato com amigos que estão presos e pedia indicação de um parceiro para o assalto; o preso por sua vez  passava o contato de um bandido em liberdade.

Leia Também