Quinta, 23 de Novembro de 2017

As várias faces de Jesus

2 ABR 2010Por 20h:42

O que um ator com quase 35 anos de carreira, um frentista de Glória de Dourados, um estudante do curso de farmácia da Faculdade Estácio de Sá e um agente de viagem, com grande experiência na arte teatral, têm em comum? A resposta pode ser obtida hoje, em diversos espaços católicos da Capital e do interior. Cada um deles, à sua maneira, interpretará ou já interpretou o martírio de Jesus Cristo na Sexta-Feira Santa.

Edilton Ramos, 52 anos, o primeiro citado, é o veterano da turma quando o assunto é Jesus Cristo. Mesmo tendo feito vários personagens ao longo da carreira, foi interpretando o filho de Deus que passou a ser conhecido em Mato Grosso do Sul. "A estreia no papel de Cristo aconteceu em 1979, na antiga quadra da UCE (União Campo-Grandense dos Estudantes). Depois, encenei no Morenão, Guanandizão, Horto Florestal e várias cidades do interior", lembra. Porém, este ano, Edilton não interpretará o personagem, assim como aconteceu nos dois anos anteriores. "A montagem mais recente que fiz foi no Guanandizão, em 2007. Tentei entrar em contato com as fundações de cultura do Estado e do município, mas nem fui recebido pelos presidentes", queixa-se o ator.

O frentista é Fernando Pelhe, 31 anos, que pela quarta vez viverá Cristo na encenação promovida em Glória de Dourados, hoje e amanhã, às 20h30min, na Arena do Parque de Exposições. "Ele nunca tinha feito nenhum curso de teatro antes", explica o diretor da montagem, Fábio Germano. "Anteriormente, somente tinha interpretado Jesus na igreja, mas sempre pensei na encenação num espaço maior", diz Fernando.

Em média, perto de 10 mil pessoas assistem anualmente a representação. Durante dois anos o frentista não participou do espetáculo por problemas de saúde. O retorno ocorreu há dois anos. "Sempre quis fazer o personagem porque queria mostrar para o público mais jovem a mensagem que Jesus deixou, com isso gostaria que mais pessoas pudessem fazer ações para ajudar aos idosos e toda a comunidade. Desde pequeno tinha vontade de interpretá-lo", enfatiza Fernando.

Por causa da atuação, passou a ser conhecido na região. "É comum as pessoas me reconhecerem na rua ou onde trabalho", gaba-se. Quando se aproximam as datas de apresentação, Fernando deixa a barba crescer e o reconhecimento é imediato. "Sempre perguntam se vou interpretar novamente".

Casado, pai de uma filha – Fernanda, 4 anos – diz que ela chegou a se assustar com a encenação, principalmente quando o personagem é castigado pelos soldados romanos. "Hoje, ela já entende mais, mas quando era menor, ao me ver, dizia: ‘pai de sangue’, por causa da imitação de sangue que era colocada no meu corpo". As apresentações com Fernando no papel principal acontecerão hoje e amanhã, às 20h30min, na Arena do Parque de Exposições de Glória de Dourados.

Estreantes

Mário Filho, 40 anos, viverá pela primeira vez o personagem. Seguidor da Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, mais conhecida como mórmon, diz que ao interpretar o personagem durante o ensaio percebeu a dimensão do sofrimento que Jesus passou. "Foi real o que ele viveu, nem precisei da memória emotiva, comumente utilizada pelos atores nas apresentações, para me emocionar. Nunca aconteceu antes nas minhas atuações, me emocionei de verdade", aponta o ator.

Por indicação do diretor Alex Guedes, o ator não precisou caracterizar-se da maneira como usualmente o personagem aparece em outras montagens. "Não precisei deixar a barba e nem o cabelo crescerem". A intenção é mostrar um Cristo atual, com características comuns à nossa cultura. A encenação com Mário Filho acontecerá hoje, às 18h, na Igreja São Pedro Apóstolo – Avenida Castelo Branco com Rio de Janeiro, na Vila Coronel Antonino.

Outro novato na área é o estudante de farmácia Thiago Silva da Cruz, 22 anos, que hoje, às 15h, interpretará Jesus Cristo durante a procissão e a encenação da via-acra nas Moreninhas 2 e 3 e na Cidade Morena. "É a primeira vez que interpreto, mas nos outros anos atuei como soldado, ladrão e Herodes. Em nosso grupo da igreja, fazemos revezamento de atores que interpretam Jesus. É um acordo. No ano que vem, possivelmente, será uma outra pessoa no papel", explica.

Thiago diz que os familiares lhe incentivam nas atuações e que este ano a expectativa é ainda maior. "Minha mãe já avisou amigos e parentes". O início da procissão será na Igreja São Pedro e São Paulo, na Moreninha III, e o término será na Paróquia Nossa Senhora da Aparecida das Moreninhas.

Leia Também