Quarta, 22 de Novembro de 2017

Artuzi e Tetila serão alvos de CPI aprovada por vereadores

23 MAR 2010Por 08h:17
A Câmara Municipal de Dourados recebeu, na noite de ontem, pedido de instauração de Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar a saúde pública, alvo de denúncias de falhas e irregularidades envolvendo o prefeito Ari Artuzi (PDT) e o ex-prefeito Laerte Tetila (PT). Como foram obtidas quatro assinaturas, número mínimo necessário, a bancada de apoio ao prefeito não pode evitar a criação da CPI, que será instalada nesta semana. Assinaram o requerimento os vereadores Dirceu Longhi (PT), autor do pedido, Gino Ferreira (DEM), Marcelo Barros (DEM) e Delia Razuk (PMDB). Entrevista de Tetila a uma rádio local, no sábado, pode ter precipitado a formação da CPI. Na ocasião, ele rebateu as declarações de Artuzi de que, para a prefeitura rescindir o contrato de arrendamento do Hospital da Mulher (HM), de propriedade da família Uemura – denunciada pelo Ministério Público por fraudes em licitações e formação de quadrilha, entre outros crimes – seria obrigatório o pagamento de multa de R$ 1,3 milhão. Tetila afirmou que a quantia seria de R$ 540 mil, valor que poderia cair pela metade mediante negociação. Artuzi disse que tem interesse em passar o atendimento do HM para as instalações do Hospital Evangélico, que administra o SUS em Dourados, mas alegou que a multa é muito alta. O arrendamento do Hospital da Mulher foi assinado por Tetila, pelo valor de R$ 100 mil mensais, quando o Hospital Evangélico suspendeu o atendimento do SUS. Longhi, em seu discurso na Câmara, às 20h20min de ontem, mostrou cópias de notícias sobre “o caos da saúde em Dourados”. Ele apontou a falta de medicamentos, especialidades (como radioterapia), médicos e materiais básicos, como luvas descartáveis, mesmo tendo a Secretaria de Saúde realizado licitações no final do ano passado para suprir as deficiências. Marcelo Barros, ao final do pronunciamento de Longhi, quando anunciou o pedido de CPI, exigiu que a investigação se estendesse também à administração de Tetila, “porque tudo isso começou no seu governo”. O petista aceitou a inclusão do período de gestão do ex-prefeito na CPI.

Leia Também