Sábado, 18 de Novembro de 2017

Artuzi demite petistas ligados a vereador que pediu CPI

25 MAR 2010Por 00h:50
A edição de ontem do Diário Oficial do Município de Dourados publicou demissões de sete funcionários ligados ao vereador Dirceu Longhi (PT), autor do pedido de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar a saúde pública, aprovado na noite de segunda-feira. Os servidores exonerados exerciam cargos de confiança. Na terça-feira, circulava rumores na prefeitura de que a reação do prefeito Ari Artuzi (PDT) à criação da CPI seria dura. Longhi confirmou ontem ao Correio do Estado que os demitidos atuavam nas secretarias de Administração (a qual ele comandou por três anos), de Finanças e Assistência Social. “Eram técnicos, filiados ao PT, vieram da gestão passada, alguns próximos a mim, e foram aproveitados pelo atual prefeito”. Apenas um é funcionário efetivo e volta ao cargo de origem, sem o adicional da comissão. “Mas coincidência ou não, foram afastados com o advento da CPI”, observou o vereador. Para ele, a decisão de Artuzi “cheira à retaliação, porque nunca troquei o meu apoio a ele por cargos na prefeitura”. Artuzi tem atribuído as mazelas na saúde ao seu antecessor Laerte Tetila (PT), que deixou 90% dos contratos decorrentes de licitações assinados, segundo afirmou o líder do prefeito na Câmara, Humberto Teixeira Junior (PDT), na última sessão da Casa. O próprio prefeito, denunciado na Operação Owari, tem repetido que “nunca assinei nada”, referindo-se aos contratos suspeitos de irregularidades vindos do governo Tetila. Prazo O pedido formal da CPI da Saúde deu entrada na última sessão da Câmara de Dourados. O presidente Sidlei Alves (DEM) tem cinco dias para instalá-la e nomear seus três membros. O prazo, portanto, vencerá na próxima segundafeira. Segundo Longhi, o número de integrantes da CPI, se houver acordo, poderá se ampliado para cinco, afim de respeitar a proporcionalidade dos partidos. A formação partidária na Câmara é heterogênea: o DEM tem quatro vereadores e o PDT, três. Os cinco vereadores restantes pertencem ao PSDB, PMDB, PRB, PSB e PT.

Leia Também