Sábado, 18 de Novembro de 2017

Arruda almoça comida caseira e recebe a mulher

14 FEV 2010Por 04h:46
Um dos advogados do governador afastado do Distrito Federal, José Roberto Arruda, Thiago Brugger disse, ontem, que seu cliente está menos abatido e acordou melhor. Arruda está preso desde a última quinta-feira por determi nação do Superior Tribunal de Justiça (STJ) na Superintendência da Polícia Federal, em Brasília. O advogado visitou Arruda, mas não soube dizer se ele dormiu a noite toda. Arruda almoçou por volta das 13h. A comida foi trazida por um funcionário. No cardápio, arroz, feijão, bife e bata frita, feitos em casa. Flávia Arruda, mulher do governador afastado, visitou o marido na manhã de ontem. Ela ficou pouco mais de uma hora no local e entrou sem ser vista. Essa seria a segunda visita de Flávia. Arruda deve passar o carnaval na cadeia depois que o ministro do STF (Supremo Tribunal Federal), Marco Aurélio de Mello, não concedeu habeas corpus para que ele respondesse em liberdade à acusação de subornar testemunha do esquema do mensalão do DEM. O governador nega as acusações e a defesa alega que ele não teve direito de se defender. Na PF, o governador ganhou uma cama para ter mais conforto e não terá de dormir mais nos sofás que ficam na sala onde ele foi colocado. A sala, de cerca de 40 metros quadrados, é maior do que muitas quitinetes de Brasília e tem ainda ar-condicionado, TV e uma mesa de reuniões. Segundo a assessoria de imprensa da PF, é o gabinete da diretoria do Instituto Nacional de Criminalística. Na última quinta-feira, o diretor da Polícia Federal, Luiz Fernando Corrêa, negou a existência de tratamento privilegiado a Arruda. Segundo ele, a orientação do presidente Luiz Inácio Lula da Silva de preservar a imagem do governador durante o cumprimento do mandado de prisão é regra na corporação. Diferentemente de Arruda, outras cinco pessoas que também tiveram a prisão preventiva decretada por tentativa de obstrução das investigações estão presas na penitenciária da Papuda. São eles o ex-diretor da CEB (Companhia Energética de Brasília) Haroaldo de Carvalho, o sobrinho e assessor de Arruda (sem partido) Rodrigo Arantes, o ex-secretário de Comunicação do DF Welington Moraes e o servidor aposentado do DF Antônio Bento. O ex-deputado distrital Geraldo Naves foi transferido ontem para a Papuda. Todos são acusados de participar da tentativa de suborno ao jornalista Edmilson Edson dos Santos, o Edson Sombra. A tentativa foi flagrada em vídeo pela PF. A prisão preventiva foi decretada na quinta-feira pelo STJ. (Fonte R7).

Leia Também