Segunda, 20 de Novembro de 2017

Arrecadação de tributos federais cresce no Estado

19 MAR 2010Por 06h:06
A arrecadação de impostos e contribuições federais em Mato Grosso do Sul totalizou em fevereiro R$ 95,4 milhões, apontando crescimento de 1,3% sobre o mesmo período de 2009 (R$ 94,2 milhões). Na comparação dos dois primeiros meses de 2010 com janeiro e fevereiro do ano passado, a queda é de 1,2%, recuando de R$ 230,1 milhões para R$ 227,4 milhões. O tributo com maior participação do total arrecadado é o Imposto de Renda, que em fevereiro deste ano registrou 37% da arrecadação do mês, ou seja, R$ 35,7 milhões. Em janeiro, essa representatividade foi de 40% (R$ 53,8 milhões). A arrecadação brasileira totalizou R$ 53,5 bilhões em fevereiro, valor recorde para o mês. O melhor resultado anterior foi obtido em fevereiro de 2008, quando a receita somou R$ 53,4 bilhões. Em janeiro deste ano, a arrecadação federal também foi recorde, com R$ 73,5 bilhões. Os valores já são corrigidos pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA). De acordo com o secretário da Receita Federal em Brasília, Otacílio Cartaxo, os números indicam que a arrecadação federal deve ter crescimento real acima de 12% em 2010. Segundo ele, esta deve ser a previsão que constará no relatório de programação financeiro e orçamentário. “O cenário econômico é muito promissor e o aumento de arrecadação abrange todos os estados”, afirmou o secretário. “Este ano será um ano bom e vamos retomar os níveis de arrecadação de 2008”, previu Cartaxo. O secretário avaliou que o resultado recorde das receitas no primeiro bimestre do ano aponta para recuperação plena na arrecadação. Ele classificou o resultado como “expressivo”. Segundo ele, a arrecadação do bimestre zerou as perdas acumuladas no ano passado, com crise severa da economia, que teve impacto sobre o Produto Interno Bruto (PIB) e levou o governo a adotar uma série de medidas de desonerações tributárias. Na avaliação do secretário, a arrecadação do bimestre consolida o início da retomada econômica, porque são dados confiáveis e recentes da economia real. “Tem valor extremamente concreto. Nós já estamos trabalhando com o número positivo”, afirmou. (com informações da Agência Estado)

Leia Também