Domingo, 19 de Novembro de 2017

Aprovado reajuste para professor e servidor

1 MAI 2010Por 05h:59
anahi zurutuza

Em sessão extraordinária realizada ontem, a Câmara Municipal aprovou o reajuste para os professores, médicos e demais servidores do Executivo. Os funcionários do Legislativo também terão aumento.

Os professores não tinham concordado com a primeira proposta do prefeito da Capital, Nelsinho Trad (PMDB), de reajustar salário em 6% e ameaçavam entrar em greve. Na tarde de quinta-feira, a categoria se reuniu com Nelsinho, que ofereceu a eles 8% de aumento e, ontem, em assembleia realizada na sede do Sindicato dos Trabalhadores em Educação (ACP), professores decidiram aceitar.

O salário inicial do professor que cursou magistério passa de R$ 863 para R$ 932. Para quem tem nível superior, o salário inicial passou de R$ 1.254 para R$ 1.398. “Melhor ficar com 8% e continuar trabalhando para conseguir melhor reajuste depois do que não aceitar e ficar com 5,3%, que é o índice geral dos servidores”, afirmou o presidente da ACP, Geraldo Alves Gonçalves.

Por conta da reunião extraordinária, algumas escolas municipais ficaram sem aulas ontem pela manhã. “Chegamos aqui e a diretora avisou que não ia ter aula porque os professores iam fazer paralisação pelo salário. Estou voltando para casa”, disse o aluno do 9º ano da Escola Municipal Bernardo Franco Baís.
Médicos, que também ameaçavam paralisação, em reunião com o prefeito, aceitaram o reajuste de 5,3% e aumento no valor dos plantões de R$ 450 para R$ 520 (por plantão de 24 horas), com a condição de que, em setembro, comecem a negociar a incorporação das gratificações por desempenho ao salário-base e o Plano de Cargos e Carreiras (PCC) específico para a categoria. Trabalham hoje na Rede Municipal de Saúde cerca de 3 mil médicos, segundo o presidente do Sindicato dos Médicos de Campo Grande (Sinmed), Marco Antônio Leite.

Para o restante dos servidores municipais, o aumento linear ficou entre 5,3% e 9,6%. Servidores que têm cargos com referência entre 1 e 13 vão receber 9,6% de aumento. O acréscimo de 5,3% vai atingir cargos de confiança, procuradores municipais, auditores fiscais e servidores com referência de 14 a 16. Os servidores de 1 a 8 têm apenas o Ensino Fundamental, os de 9 a 13 têm Ensino Médio e os de 14 a 16 tem Ensino Superior. Para os que trabalham na Câmara Municipal, o aumento ficou em 7%.

Leia Também