Sexta, 17 de Novembro de 2017

Após 3 semanas, chuva traz alívio e provoca estragos

24 ABR 2010Por 05h:52
Vânya Santos

Depois de 21 dias sem chuva, precipitação de cerca de 30 milímetros, que atingiu Campo Grande no início da noite de ontem  – conforme o Instituto Nacional de Meteorologia – trouxe alívio à população, mas também causou prejuízos a moradores do Bairro Coophatrabalho e estragos em veículo que trafegava no Bairro Coophamat.
Vizinhos, amigos e parentes se mobilizaram para retirar água, que atingiu quase um metro de altura, da casa do funcionário público Luiz Carlos, 63 anos, que reside na Rua Aldagro, Bairro Coophatrabalho. “Todo ano tenho prejuízo com a chuva. Já perdi sofá, TV, o guarda-roupa ficou tomado pela água e a geladeira tombou na enxurrada. É comprar para perder tudo”, relatou.
A família de Luiz Carlos morava em casa própria, no mesmo bairro, mas mudou de residência para tentar fugir do problema, no entanto, ele persistiu. “O Correio do Estado tirou foto aqui em 1982, do mesmo problema. Entrou prefeito, saiu prefeito e ninguém resolveu. Quando acontece em bairro de bacana, no outro dia tem máquina trabalhando. Mas este ano os políticos vêm abraçar e pedir voto”, desabafou o morador.
Para o funcionário público, a solução seria trocar a tubulação, que não comporta o fluxo de água que vem dos bairros Santa Carmélia, Jardim Canadá e região do Colégio Militar. “Há 32 anos moro aqui e sempre foi essa anarquia”, frisou.

Terreno condenado
Além de perder vários móveis, a autônoma Marisa Regina Paiva Melchiades, 43 anos, que reside na Rua Tipuana, também no Coophatrabalho, teve parte de seu terreno condenado por equipe do Corpo de Bombeiros porque um buraco foi aberto no quintal, próximo ao muro. Bombeiros isolaram o terreno.
Ela contou que em fevereiro deste ano teve a casa invadida pela enxurrada, no entanto, o prejuízo não foi tão grande. Desta vez, computador, geladeira, armário, estante e tantos outros móveis, além de equipamentos da fábrica de salgados e pão de mel da família, que fica no mesmo terreno da casa, foram danificados. Aparecido Toledo, marido da autônoma, garantiu que o prejuízo foi de pelo menos R$ 20 mil.

Buraco
A chuva também causou transtorno para o instalador Frederyck Nuvoli da Silva, 27 anos, que trafegava pela Rua do Sul, no Bairro Coophamat, por volta das 19h de ontem, quando seu carro, um Fiat Uno, caiu num buraco solapado pela enxurrada. Ele disse que o buraco foi aberto por uma empresa, que fazia serviço de esgoto no local, porém, não havia sinalização indicando interdição da via.

Leia Também