Domingo, 19 de Novembro de 2017

Antônio João critica "venda" de seu partido

1 ABR 2010Por 20h:48

O suplente de senador Antônio João Hugo Rodrigues, ex-presidente regional do PTB, manifestou sua indignação com o que classificou como "leilão aberto do PTB". Ele criticou a forma como o presidente do partido, Ivan Louzada, conduziu a negociação de aliança com o governador André Puccinelli (PMDB) em reunião realizada na noite de terça-feira. "Quando assumi a presidência do PTB, a primeira coisa que eu fiz foi tirar da porta do partido a placa de ‘vende-se’. Hoje, colocaram um outdoor lá", declarou.

Para Antônio João, os acordos de alianças partidárias implicam na formação de coligação e até no fornecimento de materiais de campanha, como "santinhos", cartazes e bandeiras. "Não posso imaginar que seja dinheiro, moeda sonante para distribuir para candidatos. Não me parece a coisa correta", lamentou.

O ex-dirigente do PTB criticou, ainda, a negociação da sigla com o PT. "Isso não é só o caso do André, é o caso do Zeca também, que dizem ter feito uma proposta por escrito que incluía dinheiro para o partido", enfatizou. "O Zeca, nesse aspecto, foi mais inteligente. Ele fez a reunião com o PTB e a gente ficou sabendo do suposto resultado. Na terça-feira (com André), foi uma reunião pública, aberta", observou.

Orcírio também teria oferecido ao PTB a vaga de candidato a vice-governador e duas secretarias, em caso de vitória no pleito eleitoral. "E o André ofereceu ‘milão, milão, milão’ e ninguém entendeu se é milão, se é milhão, se é brincadeira", disse Antônio João, referindo-se à declaração do governador, publicada ontem no Correio do Estado, aos petebistas que participaram do encontro que aconteceu na sede do partido.

"Estão vendo quem dá mais. Leilão é assim. Quem dá o maior lance, leva", disse. "É muito desagradável ver o partido sendo leiloado. Para a democracia, isso é triste".

Na opinião de Antônio João, o PTB deveria reunir todos os diretórios municipais para decidir apoio ao PT ou ao PMDB. Para o suplente, restringir o poder de decisão à executiva regional significa limitar à opinião do presidente, "porque todo presidente faz a executiva com a sua cara".

Apesar de integrar o PTB, Antônio João não participou da reunião com o governador. "Teve gente que estranhou porque eu não estava na reunião (de terça-feira). Eu não tinha que estar lá, não sou da Executiva. Sou apenas um filiado", comentou.

 

Anúncio

Segundo Ivan Louzada, a Executiva do PTB, composta por dez integrantes, vai discutir as propostas de André e Orcírio no dia 9 de abril, sexta-feira. A decisão será anunciada até o dia 15, mas pode ser questionada na convenção do partido, em junho. Para isso, seria necessária a apresentação de nova proposta de aliança assinada por 30% dos convencionais. Neste caso, o partido decidiria no voto entre apoiar o PT ou o PMDB. (colaborou Marcos Eusébio)

Leia Também