Quarta, 22 de Novembro de 2017

Antigo de cara nova

21 FEV 2010Por 07h:50
A recuperação destas peças ou artigos de mobiliários antigos pode estar nas mãos de pessoas dedicadas ao trabalho minucioso de restauração como do artista-plástico Wesley Festa. Segundo ele, a restauração verdadeira deve preservar a originalidade da peça para que ela não perca a antiguidade e consequentemente seu valor. Para o artista-plástico e empresário do ramo, o processo de restauração mais fácil é a limpeza. “Através dos anos, mesmo os móveis que são bem cuidados podem ficar embaçados ou grudentos devido a camadas de cera e pó”, destaca, acrescentando que na maioria das vezes o trabalho vai muito além da limpeza. O artista-plástico afirma que recebe peças que precisam de enxerto, outras que faltam pedaço como cadeira sem pé, molduras quebradas, portas inteiras comidas por cupins ou brocas – pragas que atacam a madeira e são difíceis de eliminar. “Há trabalhos que precisamos de três meses para concluir, porém, devolvemos à perfeição as peças”, destaca. Em alta Os modelos clássicos e vintage estão em alta na decoração. Réplicas, peças autênticas e antigas recuperadas ou bemconservadas proporcionam personalidade a um canto do ambiente ou ele todo. Um bom exemplo desta aposta pode ser observada na edição do Casa Cor MS, realizada de agosto a outubro do ano passado, em Campo Grande. Entre os ambientes premiados pelo evento de decoração, estava o living decorado pela arquiteta Alessandra Ribeiro que ousou no ambiente fugindo a todas as regras do monocromático, clássico e certinho. Para quem visitou a mostra deve lembrar da cadeira Cisne, com acabamento em ouro, que foi colocado estrategicamente na entrada da sala. Esta tendência de mistura de estilos tem sido cada vez mais implantada nos novos projetos de decoração.

Leia Também