Domingo, 19 de Novembro de 2017

André será pressionado por Lula e Temer a apoiar Dilma

10 MAI 2010Por 05h:55
adilson trindade e lidiane kober

O governador André Puccinelli (PMDB) vai ser pressionado pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva e pelo presidente nacional do PMDB, deputado federal Michel Temer (SP), a construir o segundo palanque para a candidata do PT, ex-ministra Dilma Rousseff, em Mato Grosso do Sul. Este será um dos itens da pauta do encontro dos três, que pode ser realizado ainda esta semana, em Brasília.

Lula deve encontrar resistência de André a aceitar a proposta. Ele declarou, em várias ocasiões, a impossibilidade de montar palanque para Dilma com o ex-governador José Orcírio dos Santos (PT) concorrendo à sucessão estadual. Ele considera incompatível este casamento de Dilma com dois rivais nas eleições. “A minha paixão de juventude, o meu amor é a fada madrinha (Dilma). Mas já pensou o noivo abandonado no altar? Eu vou ficar com uma dor de cotovelo”, afirmou, recentemente, evidenciando o desejo de “dar o troco” na hipótese de o PT insistir em enfrentá-lo na eleição estadual. Neste caso, a tendência é dar palanque ao pré-candidato do PSDB à sucessão presidencial, José Serra.

Mesmo assim, em conversa com parlamentares do Estado, Lula revelou a sua intenção de convencer André a se juntar a Dilma na campanha presidencial. O presidente considera este o melhor caminho para manter o alinhamento nacional do PT com o PMDB. A presença de Michel Temer, virtual candidato a vice na chapa de Dilma, na reunião, será para mostrar a André a importância da eleição da candidata petista.
Lula tem a consciência, no entanto, ser improvável a retirada da candidatura de José Orcírio da disputa eleitoral para agregar André. Mesmo assim, acha possível cada um montar palanque para Dilma. Mas, se o governador recusar a proposta e optar pelo apoio à candidatura de José Serra, o presidente deve alertá-lo das consequências político-eleitorais. Lula passaria a tratá-lo como adversário e viria a Mato Grosso do Sul participar ativamente da campanha de José Orcírio para governador.

André assegurou não ter conhecimento do teor da conversa com Lula e Temer. Na semana passada, durante visita do presidente a Ponta Porã, ele fez mistério sobre a pauta do encontro em Brasília. “Não sei (o que o Lula vai falar)”, repetiu à imprensa. Ele contou apenas que ouviu do presidente o desejo de reunir-se para discutir eleições. Puccinelli ainda sugeriu aos jornalistas para consultar o senador Delcídio do Amaral e o deputado federal Antônio Carlos Biffi, ambos do PT, da conversa dele com Lula. Os dois, segundo o governador, foram testemunhas do rápido diálogo com o presidente sobre o processo eleitoral.

Leia Também