Sexta, 17 de Novembro de 2017

André promete suplente com "sua cara" a Murilo

26 MAR 2010Por 05h:50
Até o dia 30 de abril, o governador André Puccinelli (PMDB) vai fechar a composição de sua chapa majoritária na disputa pela sucessão estadual. Ele garantiu que na data resolverá o futuro do vice- governador Murilo Zauith (DEM); descartou chapa pura e prometeu indicar alguém com “sua cara” para ser o primeirosuplente de Murilo na corrida por vaga de senador. Anteontem, Puccinelli oficializou a indicação da prefeitura de Três Lagoas, Simone Tebet (PMDB), como sua vice e, em prévias, o PMDB escolheu o deputado federal Waldemir Moka para concorrer ao Senado. Agora, resta Murilo confirmar sua pretensão de fazer “dobradinha” como Moka. A barreira está na falta de confiança em relação ao tamanho do apoio de Puccinelli ao democrata na eleição. Por isso, Murilo exigiu a indicação de uma pessoa “com a cara do André” para ser seu primeiro-suplente. O plano inicial era formar parceria com o secretário de Habitação, Carlos Marun (PMDB), ou o de Obras, Edson Giroto (PR). “Não posso exigir que eles abandonem seus projetos individuais para ser suplente de senador”, explicou o governador. “Isso não depende de mim. São projetos de vida”, completou. Marun vai concorrer à reeleição na Assembleia Legislativa e Giroto a deputado federal. Mas nem por isso, Puccinelli descarta a candidatura de seu atual vice ao Senado. “Ao verem o primeiro ou a primeira- suplente do Murilo, verão que a cara do André está lá, como ele quer”, disse ontem. Um dia antes, em Três Lagoas, o governador reafirmou dar igualdade de condições a Moka e a Murilo na disputa pelo Senado. A promessa leva-se em conta especulações de sua preferência por Moka e a infidelidade de prefeitos do PMDB, dispostos a apoiar a “dobradinha” do deputado federal com o senador Delcídio do Amaral (PT). “Quero e preciso do Murilo como senador e vou trabalhar duro para isso”, garantiu. “Vamos escolher juntos, o suplente dele que vai ter a minha cara”, reforçou Puccinelli. A pré-candidata a vice, Simone Tebet (PMDB), também manifestou apoio a Murilo Zauith. “Ele tem o meu compromisso de que vou de casa em casa pedindo votos para ele e para o Moka. Serão nossos candidatos e vamos trabalhar duro para eleger os dois”, assegurou. Na hipótese de Murilo confirmar sua desistência de concorrer ao Senado, Puccinelli afastou abrir caminho para o PMDB indicar outro candidato, como, por exemplo, o senador Valter Pereira (PMDB), que disputou as prévias com Moka. “A outra vaga, o partido decidiu destinar aos aliados, tendo o vice-governador como primeira opção”, disse. Ele descartou, ainda, a possibilidade de ter apenas um candidato ao Senado em sua chapa.

Leia Também