Segunda, 20 de Novembro de 2017

André promete a Murilo vaga no TCE para disputar o Senado

8 ABR 2010Por 20h:27

lidiane kober e maria matheus

 

O vice-governador Murilo Zauith (DEM) recebeu lista de propostas do governador André Puccinelli (PMDB) para concorrer ao Senado. O objetivo é eliminar qualquer dúvida do risco de Murilo ficar desamparado na hipótese de sair derrotado da eleição. De olho nos votos da região da Grande Dourados, Puccinelli fez questão de deixar claro que não abre mão do apoio do seu atual vice, por isso, está disposto a abrir espaço de secretário de Estado ao democrata em uma eventual segunda administração, ou no Tribunal de Contas do Estado (TCU), ou na coordenação de campanha e ainda prometeu apoio para elegê-lo a senador ou a deputado federal.

Anteontem à noite, por pelo menos três horas, Murilo e Puccinelli discutiram, acompanhados do deputado estadual Zé Teixeira (DEM), do vereador Airton Saraiva (DEM) e do ex-presidente da Sanesul, José Carlos Barbosa (DEM), a candidatura ao Senado. Aos líderes do DEM, o peemedebista reiterou estar decidido a contar com o apoio irrestrito de Murilo em sua campanha e não trabalha com outra hipótese.

Conforme Zé Teixeira, na lista de propostas apresentadas por Puccinelli figuram a chefia da Casa Civil ou da Secretaria de Planejamento, em um eventual segundo mandato. Também foi cogitada, revelou o parlamentar, a hipótese de Murilo coordenar a campanha do governador ou assumir uma vaga de conselheiro do TCE. No caso de resistir à ideia de disputar o Senado, o governador ainda propôs apoiar o democrata para deputado federal.

"Emprego eu não quero, quero é ser senador", respondeu Murilo às propostas de Puccinelli. Mas o fato é que as ofertas acabaram aproximando o democrata da chapa majoritária, pois ele sentiu confiança em contar com o apoio do governador. "Depois da conversa com o André, senti que o Murilo vai concorrer ao Senado", comentou o presidente regional do PSDB, deputado estadual Reinaldo Azambuja.

No entanto, o vice-governador ainda resiste. Ele teme a infidelidade de lideranças do PMDB, dispostas a apoiar a "dobradinha" do deputado federal Waldemir Moka (PMDB) com o senador Delcídio do Amaral (PT). "Acho que até o final desta semana, o Murilo se decide", arriscou Zé Teixeira. "Até o dia 15, ele (Murilo) precisa se manifestar", pressionou Azambuja.

 

Segunda versão

À imprensa, o governador confirmou ter oferecido a vaga de coordenador de sua campanha a Murilo e admitiu abrir espaço em uma eventual segunda administração. "Se o Murilo não quiser ser candidato a senador, eu o quero como coordenador-geral da campanha", afirmou ontem, na inauguração da V Dinapec (Dinâmica Agropecuária), na Embrapa Gado de Corte. "Mas não abro mão, em primeira hipótese, de ele ser candidato a senador", reiterou, em seguida.

Sobre a possibilidade de o seu atual vice assumir secretaria em um eventual segundo mandato, Puccinelli destacou a capacidade do democrata, mas afastou ter feito tal convite. "O Murilo tem nível técnico excelente. Não estou dizendo que foi oferecido ou foi pedido, tem que ser bem colocada essa questão", esclareceu. "Se ele quiser hoje ser secretário, tem lugar para ele, pela qualidade dele", acrescentou.

Leia Também